4 Erros Durante A Perder Peso

4 Erros Durante A Perder Peso

Perder peso, eliminando os depósitos de gordura de reserva não é uma questão fácil, são processos que precisam de muito tempo. Muitas destas situações onde não se consegue perder peso, vêm causadas por um errado abordagem em treinamento. Analisaremos estas possíveis causas para que a partir de agora, você pode pensar em um treino muito mais eficaz.

Não se perde peso, mas funciona. Como ponto de partida, temos que ter claro que o valor do peso corporal não é o mais importante, determinante e muito menos confiável para saber se estamos eliminando gordura. É muito comum encontrar casos onde ao iniciar um programa de exercícios, não só não consegue perder peso, mas sim que, além disso, Isso o mais normal, é mais, é a situação ideal, isto são as primeiras adaptações a um plano de exercícios.

Ao passar de uma situação de sedentário a ativa, o músculo estará metabolicamente mais ativo, é recheado de glicogênio, tonifica e notamos essa sensação de melhora no volume e tônus muscular. Meu conselho é que não olhe tanto na balança, mas o cinto ou a roupa, e, sobretudo, que você tenha uma expectativa a longo prazo, as mudanças a curto prazo não é garantia de sucesso.

Em princípio, o exercício cardiovascular é o que mais consumo calórico produz e, em princípio, quanto mais exercícios, maior consumo e maior perda de gordura. Isso é assim até certo ponto. Existe uma situação a partir da qual, o nosso organismo entra em uma situação de extrema demanda e ativa um mecanismo de defesa que protege a gordura. Nesses casos, você começa a catabolizar a massa muscular, baixa o ritmo metabólico e diminui nosso desempenho. Se entra em uma espiral de fracasso e quanto mais treinamos, menos resultados que obtemos.

Com um volume semanal máximo entre 4 e 6 horas de trabalho cardiovascular (como você vê, não é tão fácil realizar um excesso de cardio), temos o suficiente para conseguir o objetivo de perder gordura. Se você deseja melhorar, não aumentar os aeróbicos, é a melhor opção de incluir um programa de força. Consegue-Se um maior esvaziamento dos depósitos de glicogênio, com o qual chegamos muito antes das reservas de gordura. Devemos evitar a perda do tecido muscular e o nosso desempenho esportivo será maior, suportando melhor e durante mais tempo que os treinos cardiovasculares.

obtém-Se um consumo calórico pós-exercício é muito significativo, devido à maior demanda metabólica de uma massa muscular ativa. Queimar mais calorias mesmo em repouso. Conselho: Inclui um plano de treinamento de força 2 ou 3 dias por semana anterior ao treino cardiovascular. Tradicionalmente, tem sido entendido que as intensidades baixas são as ideais para queimar gordura. Isso é verdade, pessoas que se iniciam e que apresentam uma condição física muito baixa, praticamente, porque esta é a única intensidade à que podem suportar as sessões de treinamento.

  1. Compra semanal de produtos frescos e mais perecíveis, como frutas e legumes
  2. Requer menos tempo do que fazer exercício cardiovascular tradicional
  3. Seis morangos
  4. Tofu ao molho de alho negro
  5. 10 Hábitos para perder peso
  6. Tabela lateral com elevação de quadril – 3 séries de 8 repetições para cada lado
  7. AJUDA A LIMPAR O SANGUE

O certo é que não há uma “margem queima de gordura”, acha que a gordura é como o óleo em uma frigideira, maior a temperatura, maior o azeite se queimará. No nosso corpo elevar a temperatura para conseguir queimar a gordura, supõe elevar a intensidade de trabalho; aumentar a margem de intensidade, usar mudanças de ritmo, alcançar maior consumo de oxigênio, entrar mesmo em fases onde usamos as vias anaeróbias. Se você sempre selecionamos métodos contínuos de baixa intensidade, o organismo se adapta e deixará de produzir melhorias.

Alternar com métodos variáveis nos fornecer estímulos diferentes e poder continuar com novas adaptações, o que nos levará a uma melhoria do sistema cardiorrespiratorio e, consequentemente, a uma maior capacidade de oxidar a gordura como fornecimento de energia. Conselho: Não aumentar o tempo de treino, mas aumenta a intensidade com mudanças de ritmo, de forma eventual.

O interval training, onde se alternam de forma contínua fases de alta e baixa intensidade é uma boa opção. Outras opções é fazer costas, incluir multisaltos, obstáculos, treinamento militar, etc. Se já faz um treino de força e quiser perder peso, esqueça do clássico treinamento analítico e isolado por grupos musculares.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: