6 Erros Que Conduzirão Ao Fracasso À Sua Estratégia De Social Media

6 Erros Que Conduzirão Ao Fracasso À Sua Estratégia De Social Media

Não postar com uma certa frequência, você fará com que os usuários nos esqueçam. A falta de tempo faz com que muitas vezes não sejamos gratos com a audiência. Esses são alguns dos erros que nos conduzirão ao fracasso em nossa estratégia de Social Media. 93% dos comerciantes usou as redes sociais para seus negócios durante o passado ano de 2013, de acordo com um relatório feito pelo The Search Engine Journal. Estes números, desgranamos que ter presença nestas plataformas sociais já não é apenas uma opção, mas que se tornou quase uma obrigação. No entanto, uma parte destas empresas continuam incorrendo em graves erros que as dirigem diretas para o precipício.

Se só falamos de nós mesmos, de nossas características ou benefícios, maravilhosos, que são os nossos produtos ou serviços, e nos esquecemos do que realmente interessa aos nossos seguidores não resultaremos atrativos. É Por isso que estes deixarão de nos seguir e, além disso, vão ter uma má imagem da nossa marca. Também, nós temos que evitar o compartilhamento de conteúdos incompreensíveis, com erros ortográficos ou erros gramaticais. E evitar o uso de links sem descrição, já que ninguém vai ler se você não tem a mínima idéia sobre o que tratam. Se você não publicar com certa frequência e deixamos inativos nossos perfis ou páginas, deixaremos de ser interessantes, os nossos seguidores nos esquecerão e o Google não nos tem em conta os resultados de pesquisa.

A periodicidade será dada por o comportamento de nossa audiência. As redes sociais são uma excelente plataforma para gerar interação e envolvimento com o nosso público-alvo. No entanto, muitas empresas não respondem às perguntas ou sugestões de seus seguidores e até mesmo apagados comentários negativos (o que é pior ainda). Desta forma, não conseguiremos que os nossos clientes sintam que nos importam as suas opiniões e que os temos em conta na hora de tomar decisões.

A falta de tempo faz com que muitas vezes não monitoricemos nossa marca nas redes sociais. Desta forma deixamos de agradecer aos nossos seguidores quando partilham os nossos conteúdos, ou de comentar suas contribuições. Um fator muito importante e em que caímos muitas vezes, é não seguir a nossa concorrência. Assim, não sabemos o que fazem e quais são as suas estratégias em redes sociais. Às vezes queremos abraçar muito e no final ficamos com nada. Isso acontece quando fazemos um uso abusivo dos hashtags e até mesmo enganamos os leitores com eles.

  • Xavica (discussão) 10:33 8 jun 2017 (UTC)
  • 2 A segurança como uma necessidade básica
  • 000 milhões carecem de habitação estimable
  • 5 Marketing vertical
  • Grupo: De 7 a 9 anos
  • Atualizar os objetivos por cerca de mais realizáveis

A percentagem de norte-americanos com acesso à Internet de banda larga passou de 15% a 25%. A banda larga não só significava maior rapidez, mas que facilitou muito o carregamento de imagens. As câmeras digitais começavam a espalhar-se e a popularizar-se. Se Friendster não tivesse morrido de sucesso, talvez tenha atraído o público, mas MySpace entrou naquele lugar. Os fundadores, comercialização de seu serviço em clubes, tanto para grupos musicais, como a seu público. Em pouco tempo transforma-se um veículo de promoção essencial para as bandas de música de Los Angeles.

Os empresários musicais de todo o país não tardaram em usar o MySpace como plataforma. O MySpace era um clube digital em que se aceitava o comportamento selvagem. Um usuário do Friendster desencantado que usou o nome de Tila Tequila, se juntou ao MySpace e levou todo o seu clube de fãs.

Grupos de pais do instituto reuniam-se alarmados para falar dos riscos das redes sociais. Quando em 2004, lançou Thefacebook, o atraente MySpace já tinha mais de um milhão de membros e estava rapidamente se tornando a rede social dominante no país. Thefacebook, oferecia aos usuários funções limitadas, uma página de perfil branca imaculada e limitava-se a alunos universitários das universidades de elite do país.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: