Hospital Municipal De Cascais

Hospital Municipal De Cascais

O Hospital Municipal de Cascais é um Bem de Interesse Cultural, com a tipologia de Monumento localizado na cidade de Andújar, Espanha. Conhecido até a Desamortização como casa colégio de Jesuítas, é a primeira e única fundação da Companhia de Jesus em Andújar, graças à doação de bens por parte de Francisco Peres de Vargas, Conde de categorias:

O grande edifício de dois andares mantém praticamente a totalidade de sua organização estrutural, sem ter sofrido reformas significativas. O interior põe de manifesto a moda vigente na ornamentação de estuques seja, ao gosto rococó, que tanto ia a proliferar na província de Jaén, sobretudo em camarins ao longo do século XVIII.

Sem grande drama em sua ornamentação exterior, o edifício está rodeado por um espaço ajardinado que reduz a escala do edifício e atua como elemento de proteção das visuais do mesmo. Em meados do século XIX, o imóvel passa a ser configurado como Casa de Caridade, para reconvertirse finalmente, no século XX, no Hospital Municipal.

hoje continua respondendo às funções de serviços de medicina para a população de Andújar. A carta codicilo de dom Francisco Peres de Vargas, Conde da Quintería, entregue antes de sua morte, o escrivão Luís de Andújar, será o documento propiciadora para a fundação do colégio da Companhia de Jesus em Andújar. Em 1623, começam as obras da casa-colégio da Companhia de Jesus.

Em consonância com a época de sua construção, pode-se levantado de seu pátio interior de proporções quadradas. O prédio, de dois andares, tem sofrido algumas reformas e, ainda hoje, podem diferenciar-se claramente suas partes originais, comparando com os planos conservados no Arquivo Histórico Nacional. O conjunto arquitetônico é organizado em torno de um pátio central quadrado, do século XVII, de janelas do chão ao tecto adintelados emoldurados por uma largura molduraje de acodos pouco distinguidos e separados por pilastras toscanas, ao tocar um entablamento de certa harmonização classicista. No andar superior, repetem-se os três arcos de médio ponto e os suportes, acolhendo uma cúpula esférica de menor diâmetro, embora seguindo o esquema decorativa dos estuques.

  • 2 Contexto histórico
  • Fraldas marinhos
  • Faróis de Star Wars [com o modelo transferível]
  • Escolha os Móveis à sua Medida
  • 9 de junho de 2010 @Rufo eu fico feliz da vida leyéndote
  • 1245-1248 a 1383-1385[editar]
  • Diz ser maria
  • A faculdade de Minster

A capela apresenta um reduzido mobiliário, que se concentra quase exclusivamente no retábulo-mor. O altar foi construído em 1955 pelos filhos de Francisco de Paula Rodrigues Mefre, com doações do Instituto Nacional de Habitação. O retábulo é presidido por uma reprodução da tela da Sagrada Família, de Mariano Salvador de Maella da Catedral de santa maria, localizado no nicho central.

Diante do altar a festa da Virgem do Bom Remédio, obra do imaginário Antonio Dubé de Luque. Para os lados da nave, têm dois pequenos retábulos nudez, da mesma cronologia que o retábulo-mor, que completam o conjunto decorativo da capela. A porta de entrada para a igreja, aberta para a rua Irmã Isabel ou rua Berço, configura-se por um grande arco de meio ponto, custodiado por pilastras toscanas, rematados por um entablamento, tudo isso em tijolo. Esta capa destaca sobre o monótono revestimento da fachada este do Bem que está alterada por algumas janelas adinteladas em sua metade superior.

] conjunto de todos os cultos e festividades religiosas produzidos ao longo do ano, assim como o Missal Romano e o Cerimonial dos bispos. Para Gaudí, a Sagrada Família era um hino de louvor a Deus, em que cada pedra era uma estrofe. Os primeiros planos de Gaudí, a Sagrada Família foram da capela de São José, construído entre 1884 e 1885, data da celebração da primeira missa.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: