Warren Buffet, O Oráculo Dos Milhões

Warren Buffet, O Oráculo Dos Milhões

De criança, Warren Buffett, eu tinha certeza que ia ser alguém “muito rico”. Em sua casa em Omaha, Nebraska, onde nasceu em 1930, o dinheiro era um tema recorrente. Seu pai, Howard Buffett, era um investidor de bolsa, atingido pela Depressão e ansioso por recuperar o status perdido. Sua mãe, Leila, era uma atraente dona de casa, de ideias tão conservadoras como seu marido.

por Trás de sua aparência sorridente, no entanto, se escondia uma mulher com problemas mentais e um caráter forte, que atormentó emocionalmente a seus três filhos. Naquele ambiente foi criado Warren: um menino bonito e repeinado, que logo se mostrou uma incrível habilidade com os números. O pequeno Warren tinha uma memória fotográfica e uma precoce capacidade de empreender.

Os vizinhos estavam acostumados a seus negócios, como vender bolas de golf de segunda mão ou refrigerantes porta-a-porta. Com seus ganhos adquiriu, com 12 anos, seus primeiros três ações: um investimento que lhe procurou a um capital de us $ 114,75. Em 1943, os Buffett mudou-se para Washington. Seu pai tinha sido eleito deputado pelo Partido Republicano. Sempre trabalhador, Warren passou a repartir o The Washington Post antes de ir para a escola.

No entanto, nem tudo foi filmado.

Terminado o ensino médio, queria começar a trabalhar, mas o seu pai convenceu-o a ir para a universidade. Rejeitou na Harvard Business School, mas foi aceito em Columbia. Lá, aprendeu com seu mentor, Benjamin Graham, um dos pais do value investing: um paradigma de investimento baseado em comprar ações a um preço inferior ao seu valor intrínseco, o que garante uma margem de segurança. Com esta fórmula, que tem vindo a aperfeiçoar ao longo das décadas, a Buffett é considerado hoje o homem que mais dinheiro ganhou através de investimentos. No entanto, nem tudo foi filmado. Quando acabou a faculdade decidiu voltar a Omaha para fundar, em 1956, Buffett Associates, Ltd.

entrou para um curso de Dale Carnegie para melhorar os seus dotes de venda e hoje o financeiro continua falando a toda a velocidade mas com uma eloquência indiscutível. Com aquela operação resolvida, Buffett se lançou para investir. Graças ao seu cheiro inato e premissas como “Nunca invistam em um negócio que não possa entender”, começou a adquirir fama de rei Midas. Aos 30 anos ganhou o seu primeiro milhão, embora a família continuava a viver sem ostentar: seus três filhos iam para a escola pública, não se lhes três caprichos e a sua casa era uma casa agradável, mas discreta, onde ainda reside.

  • Assassino psicopata
  • Produtos de produção em massa de fácil montagem; o cliente transporta e monta
  • Como pode crescer a empresa, tanto com o seu negócio como base de novos negócios
  • Mercado 12 de outubro

nesses anos produz nele um giro ideológico para a esquerda que preocupou seus pais, os republicanos ferrenhos. Influenciou isso, sua mulher, Susan, definida por alguns historiadores como “um tipo de proto-hippie-beatnik”. Em 1965, comprou parte da empresa têxtil Berkshire Hathaway, que se tornaria o veículo de seus investimentos. Foram anos frenéticos em que adquiriu, em 1973, ações de The Washington Post. Sua editora, Katharine Graham, que lhe abriu as portas para as pessoas mais influente do país. Buffett deixou de ser “um inversor de Omaha” para compartilhar cenários com presidentes e secretários de Estado. Decidiu mudar-se para San Francisco, berço do movimento hippie, que tanto admirava, para se tornar uma cantora.

Não era um divórcio (em parte porque Warren continuava apaixonado por ela), com o que Susan organizou tudo para que a mudança seja o mais agradável possível. A relação a três funcionou até o ponto de que assinou juntos as felicitações de natal. Dois anos depois da morte de Susan, em 2004, Buffett e Astrid se casaram. Durante todo esse tempo (e apesar de reveses e algum que outro escândalo), a fortuna de Buffett não deixou de aumentar.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: