Televisão Digital Terrestre

Televisão Digital Terrestre

Televisão digital terrestre (TDT), também chamada em alguns países da América televisão digital aberta (TDA), é a transmissão de imagens em movimento e som associado através da codificação binária, através de uma rede de repetidoras terrestres. Apesar das vantagens da transmissão digital terrestre de televisão, o sinal digital não é mais resistente a possíveis interferências que a analógica, devido à sua natureza de sinal eletromagnético.

A diferença está na maneira de codificar a informação, seguindo algoritmos lógicos que permitem, posteriormente, identificar e corrigir erros. A tecnologia de televisão analógica somente permite a transmissão de um único programa de televisão por cada canal UHF (seja de 6 MHz, 7 MHz ou 8 MHz de largura de banda). Além disso, os canais adjacentes ao que tem lugar uma emissão têm que estar livres para evitar as interferências.

A codificação digital dos programas permite que a largura de banda disponível em um único canal UHF podem transmitir vários programas com a mesma qualidade de um DVD, ou um ou dois com qualidade HD. No entanto, a grande flexibilidade da codificação MPEG-2 ou MPEG-4 permite alterar estas definições em qualquer momento, de forma transparente aos usuários.

  1. 5ª fase. Como analisamos e monitoramos
  2. Valverde: “Chegou em perfeitas condições”
  3. Impostos de sociedades: declaração, apresentação
  4. Tópico do conteúdo
  5. Cristina Fallarás. Jornalista

O bloco de quatro ou cinco canais de transmissão que é emitido por um canal comum de UHF recebe o nome de MULTIPLEX (multiplex). O fluxo binário do MULTIPLEX é a multiplexação dos canais que o compõem. A relação de fluxo de cada canal multiplexado é possível regular a vontade, o que é equivalente a regular a qualidade dos mesmos. Você pode atribuir um fluxo elevado a um filme ou a um evento esportivo de pagamento detrayendo fluxo de outros canais que compõem o MULTIPLEX e podem ser de emissão aberta. Como o fluxo depende do conteúdo da imagem, muitas variações ou muito detalhe de uma imagem produzem mais fluxo.

O aproveitamento ótimo do MULTIPLEX, quando todos os seus componentes têm a mesma importância comercial, é feita através de um controle estatístico do fluxo. Um sistema inteligente estima o fluxo de cada canal que compõe MULTIPLEX, em cada momento e vai atribuindo maior ou menor largura de banda de acordo com a necessidade detectada.

Logicamente, pode-se determinar, canal por canal, uma largura de banda mínima, como foi comentado anteriormente. Devido ao melhor aproveitamento da largura de banda, as emissões de TDT podem constar de maior qualidade audiovisual. A transmissão terrestre de televisão é afetada por dispersão de energia, zonas de sombra e reflexões que provocam ecos.

Na transmissão analógica esses problemas manifestam-se como neve, ruído na imagem, duplos imagens, cores fracas e som de baixa qualidade. Na transmissão digital, por ter sido codificado o sinal de forma lógica e não proporcional, o receptor pode corrigir, até certo ponto, as distorções causadas por interferência. Não obstante, quando o receptor não é capaz de corrigir certos erros – isso pode ocorrer quando a interferência foi alterado substancialmente o sinal – pode ocorrer o congelamento de partes da imagem, ou da interrupção do som.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: