Sorria, Você está Pontuando: O último De ‘Black Mirror’ Já Está Acontecendo

Sorria, Você está Pontuando: O último De ‘Black Mirror’ Já Está Acontecendo

Muitos ficaram irritados em outubro do ano passado, quando se anunciou a app Peeple, cuja idéia era colocar nota para as pessoas que você conhece, como se seus amigos fossem um hotel ou um restaurante. As críticas conseguiram que a app vai acabar lançando-se em uma versão muito mais suave do que a anunciada, passando (por sorte) despercebido.

Mas Peeple não é um exemplo isolado. E é que Black Mirror faz com que nos sintamos desconfortáveis precisamente porque costuma colocar em primeiro plano aspectos que, talvez, nós sabemos que existem, mas que preferimos ignorar. De fato, há muitas aplicações que oferecem um serviço semelhante: classificar a pessoas e não a serviços.

Sobre tudo no domínio das citações. Episódio: 1. Nome: Nosedive. Local: Críticas de pessoas ao estilo de Yelp. Startup: Peeple. Financiamento: 270.000 dólares. Por exemplo, com Stroovy se pode classificar a pessoa que usa apps para ligar. Lembre-se, em parte, a Lulu, que era uma aplicação que permitia que as mulheres puntuaran seus exparejas de forma anônima. Badoo comprou a empresa em janeiro de 2016, transformando-o em uma app para ligar convencional. Atualmente já não existe. Mas é que, além desses dois exemplos, os usuários das aplicações clássicas de namoro já têm a sua própria nota, embora a ignorem. Como explicam na Fast Company, em Tinder há um rating interno atraente que o usuário desconhece.

trata-Se de um algoritmo cujo objetivo é combinar o usuário com as pessoas mais adequadas para ele. OK Cupid é possível classificar as possíveis encontros com até cinco estrelas. Ninguém conhece a sua média: tudo o que os usuários sabem é que se marcam para outra pessoa, com quatro ou cinco estrelas, e eles fazem o mesmo, pode começar a falar.

Em seu livro Dataclysm, Christian Santinho, co-fundador da companhia, se mostra muito otimista em relação às possibilidades que dá este tipo de informação, se bem é verdade que fala de dados agregados e anônimos. “A tecnologia permite colocar números mistérios eternos-escreve-; pegar experiências que calificábamos sem mais ‘incuantificables’ e compreender melhor”. Fora do âmbito das citações, há algum caso, como esta app (falhada) para classificar a mesa.

  • No canto inferior direito, estão localizados os controles de zoom
  • 1 Nascimento, infância e adolescência 1.1 Nascimento
  • O saber já está terminado, já está construída
  • O nível de participação na conversa sobre uma temática específica
  • Rui Díaz Abade . Presidente da Rede Europeia de Conselhos de Justiça e membro do CGPJ
  • 2 Diferenças entre um MOOC e um curso on-line

Outra que fechou foi Knozen, que permitia classificar a colegas de trabalho. E esta discussão: estávamos mencionando no início, que no episódio de Black Mirror uma melhor pontuação dava acesso a melhores serviços. Pois tomemos, por exemplo, que quer trabalhar em Juno, outra empresa de transporte privado, que assegura que é (e paga) melhor seus motoristas.

Um dos requisitos é ter uma pontuação mínima em Uber de 4,65 (ou de 4,7 em Lyft). Por certo, os motoristas também podem classificar os passageiros em Uber. Se vê que não se recolhem tantos carros como antes, tome nota das suas dicas para melhorar o seu rating.

Ou chama um táxi. Muitas dessas apps para classificar pessoas não têm funcionado. Nos sentimos desconfortáveis, pontuando a alguém. Faz sentido: se vamos a um restaurante, podemos pensar que a comida é horrível, sem que isso seja necessariamente um julgamento pessoal a garçons e cozinheiros. Mas colocar uma nota de outra pessoa é mais complicado. Sobre tudo se assinamos com o nosso nome e, além disso, corremos o risco de que os outros nos puntúen para nós. Por isso, o governo chinês quer cuidar diretamente do assunto.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: