Referendo Na Catalunha, Em Directo

Referendo Na Catalunha, Em Directo

E não dar nem um passo atrás” 22:38 Jordi Sànchez, presidente da CNA: “No domingo, votaremos e ganharemos a liberdade” 22:37 Cuixart: “Depois deste domingo nada será igual neste país. Esta nação se levantou para decidir” 22:36 “Nós não somos violentos, somos pacíficos. Hoje em escolas e no domingo às urnas” 22:32 Neus Lloveras: “Os prefeitos estão convencidos de que a única maneira de puxar para a frente é com um estado próprio, com a independência.

Não. Já tentou de tudo e aqui estamos alegre e combativos, e continuaremos assim até o final. Faltam 48 horas, quando terminar este ato ir para defender os colégios, nos jogamos tudo. Se não o fizerdes a ditadura continua, se não o fizerdes-eles eles ganham, se não o fizerdes mais 40 anos de escuridão.

Cerca de Catalunya há pessoas a favor do “sim” e do “não”. Meu governo não quis me dizer se eu tenho que votar ou não. Para nós, chegou a hora. O senhor Rajoy, enviou a Guarda Civil, porque diz que há violência, mas aqui não há. Senhor Rajoy leve para piu-piu para salvar refugiados no Mediterrâneo”. 21:00 Joan Josep Nuet: “Isto já não vai de independência, isto é democracia. 41 anos depois, com isso está tudo dito. Viveremos uma fraude democrática”, em referência ao referendo do 1-O. 19:52 Inês Arrimadas: “O nacionalismo dividido e aponta não apenas para os que não pensam como eles, mas referentes como Serrat.

Puigdemont está tentando aquecer a rua, que os cidadãos se deparam. Será um fim-de-semana perfeito? Eu gostaria de poder votar sim ou não com convicção. Fechamos as instituições, as deslegitimamos, criminalizamos a policiais, juízes, etc, e vamos para a rua a desobedecer e a aquecer a rua. O Governo, no exercício constitucional de suas funções, vai fazer cumprir as leis.

nós Temos um compromisso, que é o do 1-os cidadãos possam votar. Nós vamos agir com a máxima responsabilidade. Isso também inclui o respeito ao mandato democrático dos cidadãos. As negociações teriam que se basear na vontade do povo, da maioria, do que as pessoas exprima, de um lado ou do outro”. 12:20 Rede Romeva: “Estamos absolutamente dispostos a negociar, quando o estado português quer.

eu Acho que está previsto na Carta de Direitos Humanos. 20:08 Palma recebe nesta sexta-feira uma manifestação para exigir “democracia” na Catalunha. A Coordenadora d’Entitats per a Democràcia, constituída na semana passada, foi convocado uma manifestação, que terá início às 19.00 horas, com o objetivo de exigir “democracia” e denunciar a situação de “repressão” que se está vivendo em barcelona.

  • Financiamento e gestão
  • Onde você vende? Lojas, locais específicos, etc
  • Manter as ferramentas necessárias para identificar e recuperar a informação
  • Quadro Teórico
  • 3 Eliminação de sub-páginas criadas

19:52 CAMINHO em 1-O. Arran precinta da sede da Procuradoria catalã . 19:34 em Torno de 2.000 estudantes, de acordo com a Polícia Local, manifestaram-se no meio-dia na praça Paeria de Lleida, a favor do referendo do dia 1 de outubro, pelo segundo dia consecutivo. Em Barcelona, Girona e Tarragona também tiveram lugar marchas da mesma índole.

19:20 CAMINHO em 1-O. Pedro Santiesteve: “É claro que há que ir para um referendo acordado com garantias” . “, aponta. 19:14 ÚLTIMA HORA: O presidente da câmara de Matosinhos, Marc Castells, desmente que tenham requisitado urnas e cédulas no polígono industrial Les Comes. 18:23 Ortega manifestou perante os meios que o Estado está fazendo-se valer de todos os mecanismos legais para garantir a unidade de Espanha. Ao mesmo tempo, sublinhou que agora é o momento de agir “, a tranquilidade e o respeito” no âmbito dos órgãos e mecanismos que estipula a lei para a manutenção do Estado democrático de direito.

17:53 Os Mossos d’Esquadra) apelaram à polícia nas instalações dos serviços centrais – principalmente de pesquisa e unidades especializadas – para este sábado e domingo. 17:50 “nós Apoiamos o direito a decidir e somos contra o uso da violência por parte do Governo”, diz Rodríguez, que diz que “se você ler o manifesto não buscam uma saída diplomática do processo de Catalunya”. Assim, alunos de Direito e Políticas concentraram-se depois de um cartaz em que se podia ler: ‘Non não noso nome’ (‘Não em nosso nome’).

Joana

Os comentários estão fechados.
error: