Quando Não Ter Chefes É O Que Leva A Empreender

Quando Não Ter Chefes É O Que Leva A Empreender

�Por que você criaria seu próprio negócio? Se é para livrar-se de seu chefe e não ter que trabalhar às ordens de ninguém e faz parte de quase a metade dos trabalhadores. Assim, indica um estudo elaborado pela multinacional de venda direta Amway, GFK e a Universidade Técnica de Munique, que coloca essa razão-explicada por 46% dos trabalhadores espanhóis – como o principal motivo para tornar-se empreendedor. Desta forma, ao contrário do que possa parecer, a vocação ou realização pessoal, que implica levar a cabo um projecto empresarial, fica em segundo lugar como causa para iniciar uma atividade. Assim é escolhida por 31% dos entrevistados como principal motivação para fazer isso.

em Seguida, em Portugal passou factura da crise, em maior medida do que em outros países. Assim, um em cada quatro inquiridos espanhóis declarou este ano, que iniciou-se um negócio para sair do desemprego ou para voltar ao mercado de trabalho. Estes são, portanto, os principais motivos que levam um trabalhador a se instalar por sua conta.

  • Burns, A.C., & Bush, R. F. (2001). Marketing research. London: Prentice-Hall
  • Cuidado de parques e jardins-
  • Afeta a organização e fornece endereço
  • Esta abordagem exige dados e informações que, geralmente, são difíceis de obter
  • Consultoria de pequenos negócios
  • Para quando o planeta? Tem merecidisimo
  • Sem autor. Dolores Olmedo Patiño (1908-2002)

Mas o que obstáculos vêem estes entrevistados para tomar esta decisão? A resposta a esta pergunta varia muito em função dos países e obedece, não é tanto a legislação, que também, como uma questão cultural, que precisa Milone. Assim o indicam, pelo menos, os resultados deste estudo, segundo os quais em Portugal “medo do fracasso”, é o principal freio para a hora de tornar-se empreendedor, de acordo com 79% dos atendidos. Este medo, no caso português, é de dez pontos acima da média.

Este medo ao fracasso está fundamentado na maioria dos países as cargas financeiras que requer a colocação em funcionamento de um negócio. No entanto, em Portugal, esta causa aparece em segundo lugar e o principal motivo desse medo de fracassar, pelo segundo ano consecutivo, é causado pela crise econômica, segundo a metade dos entrevistados.

além disso, outros motivos para o medo do fracasso são ficar no desemprego, as possíveis demandas legais súbitas verificadas ou não ter uma segunda oportunidade. E só em últimos lugares, os espanhóis temem “decepcionar ou perder a minha família ou perder a reputação de amigo e colegas de trabalho” (apenas 5% declaram que este medo é o que os impede de tomar).

neste cenário, a maioria dos participantes deste estudo nos principais países do mundo concordam que uma das coisas que poderia incentivar o empreendedorismo seria contar com mais fundos públicos. Se bem que em Portugal esta necessidade é muito maior do que para a média dos demais países.

Assim a obtenção de mais ajudas e subvenções públicas seria o principal incentivo ao empreendedorismo, de acordo com o n.o 53% dos espanhóis contra 42% da média global. Os seguintes aspectos considerados fundamentais para fomentar os negócios seriam para os espanhóis “mais informações e um maior apoio familiar” seguidos de menos gestões burocráticas, modelos de negócio menos arriscado.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: