Perder O Medo De Empreender

Perder O Medo De Empreender

A proteção do pequeno empresário, responsável por 98% do tecido empresarial português, tornou-se um dos principais objetivos do Estado. A aprovação da Lei de empreendedores, obtida a partir de alguns poderosos, atraentes, complexos e polêmicos incentivos fiscais, tem sido um forte reforço para ajudar a criar novos negócios. O caminho de fundar uma empresa é um conjunto interminável de esforços e imprevistos, mas o longo processo até que o sucesso é perfeitamente marcação.

Para empreender precisa seguir algumas orientações que darão forma, criar valor e gerar a confiança necessária em uma empresa de recente criação. Empreender é um processo mais complicado e exige muitas qualidades para evitar e superar um grande número de obstáculos. Em muitos casos, criar um negócio próprio supõe sair de um posto de trabalho fixo e uma renda segurados, uma vida confortável e fiarlo tudo a um futuro tão entusiasmante como incerto. Empreender é sinônimo de assumir riscos.

  • 2 Mudanças feitas pela Nickelodeon américa Latina
  • Lista 4
  • 2,65% pertencem a duas ou mais raças
  • 02/08/2012 às 4:52 pm
  • 2 Meios Televisivos em Português 9.2.1 Telemundo 39
  • Museus, restaurantes e galerias de arte podem ser um bom cenário
  • Ponto G
  • Ade diz

Perder o medo e aprender a reduzi-los é seguir adiante com a empresa. O primeiro passo é tomar a decisão de empreender, uma capacidade que não está ao alcance de todos. É necessário inculcarse a si mesmo que o valor de empreender não faz com que o produto, por muito bom que seja, saia adiante, pelo seu próprio pé.

A ideia de negócio tem que ser clara, sustentável e o modelo deve ser definido para a perfeição, para não superdimensionar o produto, para não pular etapas durante o processo e minimizar possíveis riscos e erros. A sustentabilidade deste projeto depende de como se valorizem os recursos económicos e pessoais.

Depois vem o processo de seleção do computador.

Há que definir bem os apoios à hora de desenhar o plano. Reunir um sócio para ajudar a implementar e cumprir o plano de negócio é indispensável para a viabilidade do projeto. Depois vem o processo de seleção do computador. Se bem que o talento não garante o sucesso, também é verdade que contar com ele sobre o triunfo de forma substancial. No entanto, escolher, selecionar e contratar não é o único ponto a ter em conta quando se fala de pessoal. Motivar os empregados, identificá-los com a companhia e criar um ambiente de trabalho adequado, são desafios que você tem que assumir.

Uma vez escolhidos os companheiros de viagem, há que definir uma estratégia de negócio e as diretrizes para seu funcionamento. É necessário ser paciente no desenvolvimento do produto, deixar com que ela amadureça, conhecer as forças e fraquezas de tudo o que oferecemos e a quem as fornecemos.

Então será o momento de colocar em prática a segunda parte do plano: identificar o mercado-alvo, focar-se em direção a ele e comprometer-se sem perder a dimensão da idéia inicial. Esta fase exige muita paciência, pois os passos que se devem levar a cabo os ministrado o próprio mercado e seu exigente demanda.

O financiamento é fundamental para que a empresa seja viável e é o que vai dimensionar realmente um novo projeto. Há que ser conscientes, também, de que o financiamento não definido da vontade do empresário; o financiamento depende das necessidades do negócio e nunca deve exceder os limites de viabilidade do projeto. Empreender exige coragem, esforço, sacrifício, risco e paciência. Nada nem ninguém garantem o triunfo quando se toma a decisão de empreender, mas seguir algumas orientações adequadas aproximará a nossa ideia inicial para onde queremos que ele acabe: em uma empresa viável, sustentável e bem sucedida.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: