Os Universitários Que Querem Empreender Superam Os Que Querem Ser Funcionários

Os Universitários Que Querem Empreender Superam Os Que Querem Ser Funcionários

Os Universitários Que Querem Empreender Superam Os Que Querem Ser Funcionários 1

GAD3, o sociólogo Narciso Michavila, na apresentação do estudo E após a Faculdade, O estudo, encomendado pela Educa2020, indica que Engenharia e Arquitetura são os ramos com maiores porcentagens de estudantes que querem criar uma empresa, enquanto que as Humanidades e as Ciências da Saúde são as que menos. De fato, a maior parte do que se vê como funcionários públicos apontam a educação e a saúde como setores de trabalho. Michavila constatou-se que a crise trouxe um maior espírito empreendedor e acrescentou que, se o universitário espanhol é “o menos adverso ao risco”, pode-se concluir que é “o mais corajoso profissionalmente”.

O que mais valorizam os empreendedores é ser seu próprio chefe; os que querem ser funcionários públicos, ter segurança de trabalho. Em Madrid, a única comunidade que contribuíram com dados concretos nesta apresentação, a taxa dos que optam por empregar na administração é de 10 pontos inferior à média nacional.

Menos oportunidades de trabalho faz com que cresça o desejo de empreender, viajar e se formar.

de Acordo com o relatório, a maioria dos inquiridos de Andaluzia, Aragão, Galiza e Múrcia aspiram a um emprego público. No resto, optam por trabalhar por conta de outrem no sector privado. Menos oportunidades de trabalho faz com que cresça o desejo de empreender, viajar e se formar. A tecnologia tem produzido muito desemprego, mas também permitiu a criação de novos negócios, e o jovem lida com estas novas tecnologias, explicou Michavila. Entre os que preferem empreender em Portugal, um 18,8% fala de criar a sua própria empresa ou negócio; 1,2% pensa em continuar com o negócio familiar, e a 3,4% tende a ser independente.

Michavila tem matizes que o trabalhador, em geral, continua à procura de segurança e, se acaba, como autônomo, não é por desejo na maior parte dos casos, mas porque o mercado de trabalho o obriga a isso. Um 22,6% inclina-se por trabalhar em uma multinacional (30% dos moradores) e 11% em uma pme, enquanto que o 14,4% não tomou ainda uma decisão.

isto se deduz que ser assalariado do setor privado é a aspiração profissional principal dos estudantes universitários em Portugal. É lógico que a preferência da maioria dos madrilenos seja, as multinacionais, pois muitas dessas empresas radicadas em Portugal têm sede em Madrid. Em geral, há desejo de empreender e ideias para fazê-lo em todos os ramos de estudo e em todas as salas de aula, tem se destacado Michavila. Nove de cada 10 estudantes que se propõem a empreender estudam em uma universidade pública, então, o famoso debate público-privado é “mais político do que real”, e a cooperação entre ambos os domínios é necessária, de acordo com Michavila.

Também aumenta a predisposição para empreender, conforme aumenta o nível de estudos e se relaciona com um maior espírito empreendedor que os pais sejam empresários, vontade de aprender idiomas, viajar e trabalhar no estrangeiro. José Ortega, diretor de Deusto Business School de Madrid, destacou o rejuvenescimento dos empreendedores, pois a idade média foi menor que dos 35-40 anos a 20-25, que foi relacionado com o surgimento da tecnologia. A pesquisa foi realizada na internet aos estudantes de toda a Espanha proporcional aos matriculados reais de acordo com sexo, nível e ramos de estudos e universidades públicas e privadas. A mostra inclui 4% de alunos de FP.

Ao iniciar o processo de Recrutamento de Pessoal, nos deparamos com a realidade de Onde encontrar os candidatos adequados? Empresa, mas também para atrair as pessoas que possuam as características que requer a nossa vaga. Resultados obtidos quando foi selecionado. Resultados de avaliações de desempenho. Resultados em programas de treinamento. Análise e descrição de cargos.

  • Desviar a atenção enquanto se prepara um ataque de maior importância
  • 1 Medidas propostas pelas autoridades
  • Ocean Beach (Telhado da casa da ‘Prova PCJ’)
  • 6 João Carlos Ferreira
  • Jorge martin, 8 de julho, 2014
  • Peppa Pig
  • Criação da sociedade
  • Mudanças gestores

Condições de promoção e substituição. Universidades e centros de estudo. Empresas de Trabalho Temporário. Sacos de emprego do Estado. Procurar candidatos em toda a população é impossível por isso que nós vemos a necessidade de segmentar a população baseada nas principais características que exija a pessoa para ocupar a vaga.

Nível sócio – econômico. Uma vez selecionada a fonte de recrutamento devemos escolher os Meios pelos quais daremos a conhecer a(s) vaga(s). Se optamos por fontes internas e os meios mais comuns utilizados são os quadros de avisos, jornal da Empresa, avisos ao pessoal, comunicado ao Sindicato, etc. mesmo Assim pode ser que a vaga em questão seja coberta por qualquer pessoa que se encontre em processo de desenvolvimento, promoção ou mudança lateral.

Rate this post
Joana

Os comentários estão fechados.