Os Universitários Que Querem Empreender Superam Os Que Querem Ser Funcionários

Os Universitários Que Querem Empreender Superam Os Que Querem Ser Funcionários

GAD3, o sociólogo Narciso Michavila, na apresentação do estudo E após a Faculdade, O estudo, encomendado pela Educa2020, indica que Engenharia e Arquitetura são os ramos com maiores porcentagens de estudantes que querem criar uma empresa, enquanto que as Humanidades e as Ciências da Saúde são as que menos. De fato, a maior parte do que se vê como funcionários públicos apontam a educação e a saúde como setores de trabalho. Michavila constatou-se que a crise trouxe um maior espírito empreendedor e acrescentou que, se o universitário espanhol é “o menos adverso ao risco”, pode-se concluir que é “o mais corajoso profissionalmente”.

O que mais valorizam os empreendedores é ser seu próprio chefe; os que querem ser funcionários públicos, ter segurança de trabalho. Em Madrid, a única comunidade que contribuíram com dados concretos nesta apresentação, a taxa dos que optam por empregar na administração é de 10 pontos inferior à média nacional.

Menos oportunidades de trabalho faz com que cresça o desejo de empreender, viajar e se formar.

de Acordo com o relatório, a maioria dos inquiridos de Andaluzia, Aragão, Galiza e Múrcia aspiram a um emprego público. No resto, optam por trabalhar por conta de outrem no sector privado. Menos oportunidades de trabalho faz com que cresça o desejo de empreender, viajar e se formar. A tecnologia tem produzido muito desemprego, mas também permitiu a criação de novos negócios, e o jovem lida com estas novas tecnologias, explicou Michavila. Entre os que preferem empreender em Portugal, um 18,8% fala de criar a sua própria empresa ou negócio; 1,2% pensa em continuar com o negócio familiar, e a 3,4% tende a ser independente.

Michavila tem matizes que o trabalhador, em geral, continua à procura de segurança e, se acaba, como autônomo, não é por desejo na maior parte dos casos, mas porque o mercado de trabalho o obriga a isso. Um 22,6% inclina-se por trabalhar em uma multinacional (30% dos moradores) e 11% em uma pme, enquanto que o 14,4% não tomou ainda uma decisão.

isto se deduz que ser assalariado do setor privado é a aspiração profissional principal dos estudantes universitários em Portugal. É lógico que a preferência da maioria dos madrilenos seja, as multinacionais, pois muitas dessas empresas radicadas em Portugal têm sede em Madrid. Em geral, há desejo de empreender e ideias para fazê-lo em todos os ramos de estudo e em todas as salas de aula, tem se destacado Michavila. Nove de cada 10 estudantes que se propõem a empreender estudam em uma universidade pública, então, o famoso debate público-privado é “mais político do que real”, e a cooperação entre ambos os domínios é necessária, de acordo com Michavila.

Também aumenta a predisposição para empreender, conforme aumenta o nível de estudos e se relaciona com um maior espírito empreendedor que os pais sejam empresários, vontade de aprender idiomas, viajar e trabalhar no estrangeiro. José Ortega, diretor de Deusto Business School de Madrid, destacou o rejuvenescimento dos empreendedores, pois a idade média foi menor que dos 35-40 anos a 20-25, que foi relacionado com o surgimento da tecnologia. A pesquisa foi realizada na internet aos estudantes de toda a Espanha proporcional aos matriculados reais de acordo com sexo, nível e ramos de estudos e universidades públicas e privadas. A mostra inclui 4% de alunos de FP.

Ao iniciar o processo de Recrutamento de Pessoal, nos deparamos com a realidade de Onde encontrar os candidatos adequados? Empresa, mas também para atrair as pessoas que possuam as características que requer a nossa vaga. Resultados obtidos quando foi selecionado. Resultados de avaliações de desempenho. Resultados em programas de treinamento. Análise e descrição de cargos.

  • Desviar a atenção enquanto se prepara um ataque de maior importância
  • 1 Medidas propostas pelas autoridades
  • Ocean Beach (Telhado da casa da ‘Prova PCJ’)
  • 6 João Carlos Ferreira
  • Jorge martin, 8 de julho, 2014
  • Peppa Pig
  • Criação da sociedade
  • Mudanças gestores

Condições de promoção e substituição. Universidades e centros de estudo. Empresas de Trabalho Temporário. Sacos de emprego do Estado. Procurar candidatos em toda a população é impossível por isso que nós vemos a necessidade de segmentar a população baseada nas principais características que exija a pessoa para ocupar a vaga.

Nível sócio – econômico. Uma vez selecionada a fonte de recrutamento devemos escolher os Meios pelos quais daremos a conhecer a(s) vaga(s). Se optamos por fontes internas e os meios mais comuns utilizados são os quadros de avisos, jornal da Empresa, avisos ao pessoal, comunicado ao Sindicato, etc. mesmo Assim pode ser que a vaga em questão seja coberta por qualquer pessoa que se encontre em processo de desenvolvimento, promoção ou mudança lateral.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: