O Limite Da Legalidade

O Limite Da Legalidade

�Em que consiste o caso Herbalife? A Comissão Federal do Comércio dos Estados Unidos (FTC) investigou, a partir de 2014, a Herbalife, uma empresa dedicada à venda direta de produtos nutricionais. A investigação terminou na sexta-feira passada, com um acordo firmado entre a FTC e a Herbalife em que a companhia se comprometeu a pagar mais de 180 milhões de euros e a alterar a sua estrutura empresarial, em troca de não ser sancionada. A instituição federal pôs em causa o funcionamento legal da Herbalife por sua estrutura semelhante à de esquemas de pirâmide.

Em concreto, a FTC denunciou que os vendedores da empresa de multinível recebiam mais dinheiro recrutando pessoas que, dando saída aos produtos. Em Bruxelas, em troca, a empresa não conseguiu esquivar-se dos tribunais. No Brasil, atualmente, as principais associações de consumidores do país, Facua e OCU, não receberam reclamações dos usuários da Herbalife, se bem que sim, que chegaram consultas como a de Diego Evaristo, sócio da OCU.

“pareceu-Me estranho que uma pessoa sem formação, possa fazer um estudo dietético sem mal conhecer e acima de tudo, sem contar com a titulação correspondente”, explicou Evaristo, a ABC. As dúvidas não vão desencaminadas se se analisa o histórico da empresa em Portugal. A companhia foi multada em 1994, com 2,4 milhões por publicidade enganosa de sua dieta e, segundo apontou a Organização de Consumidores e Usuários (OCU) nesse momento, também se decepcionou com os distribuidores.

Mas os problemas não acabaram aí, em 2008, a Herbalife foi investigada pelo Ministério da Saúde por 9 casos de toxicidade hepática, supostamente relacionados com os seus produtos. Como explica a OCU, os produtos da Herbalife não são aconselháveis como substitutos alimentares, estes são hipocalóricos e desiquilibrados o que faz com que mesmo que se consiga perder peso, os quilos recuperam rapidamente.

  1. as Pessoas que o compre
  2. Como alavancar a venda de seus produtos, com uma rede de afiliados
  3. 3 Surpresa de Halloween
  4. Tráfego comprado

“Começar é muito simples. Você só tem que pagar 63 euros em conceito de instrução, faça os cursos e já pode acessar as “bodegas” para comprar os produtos e, em seguida, vendê-los”, explica Esperança, uma brasileira residente em Madrid e distribuidora Herbalife. “São estes benefícios, porque você não tem que investir, se alguém te pede um produto vai para o shopping com 25% de desconto e vender ao preço sem desconto”.

de Acordo com isso, se um mês um distribuidor vende 1.000 euros em artigos o benefício que ele recebe é de 250 euros, uma remuneração insuficiente para viver. Então, como é que se ganha dinheiro? A chave do sucesso deste tipo de empresas multinivel repercute-se no recrutamento de novos distribuidores. Como indica Esperança, se se consegue recrutar 50 pessoas que ficariam sob seu controle, pode chegar a ganhar mais de 7.000 euros por mês. Mas para isso teria que se dedicar à empresa.

O problema reside no fato de que estes objetivos nem sempre são realistas ou implicam sacrifícios não recomendáveis como deixar o posto de trabalho, conforme adverte Miguel Perolado, psquiatra e coordenador da Associação Ibero-americana de Investigação de Abuso Psicológico (AIIAP). “Além disso, há uma complicação adicional é que a mecânica interna da Herbalife não é muito diferente da das seitas”.

“Nós cuidam muito, há um tempo atrás me convidaram para comer no restaurante do hotel Palace, em Lisboa. Estava repleto de profissionais que nos aconselharam sobre como vender os produtos, foi muito emocionante”, acrescenta Esperança, sem saber que, como indica Perolado, estes atos estão destinados a impressionar pessoas que estão em uma situação emocional ou de trabalho complicada. É uma “cenoura pequenino”, ou, dito de outro modo, uma isca para que “as pessoas que estão dentro se sintam em dívida com a organização e, portanto, sejam fiéis à mesma”, lamenta Perolado.

Se estes requisitos de qualidade refletir completamente as necessidades dos clientes, pode-se dizer que se cumpre a garantia de qualidade. A garantia da qualidade, pode ser definido como o esforço total para levantar, organizar, dirigir e controlar a qualidade em um sistema de produção com o objetivo de fornecer ao cliente produtos com a qualidade adequada. É simplesmente garantir que a qualidade seja o que deve ser.

] de qualidade. A introdução e adoção de programas de garantia de qualidade em serviços, já ficou para trás a manufatura, talvez tanto como uma década. Os administradores de organizações de serviço por costume especularam que o seu serviço é aceitável quando os clientes não reclamam com frequência. Só nas últimas datas se deram conta de que é possível gerenciar a qualidade do serviço como uma arma competitiva.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: