O Independentismo Se Fratura Diante Da Proposta De “desemprego Do País

O Independentismo Se Fratura Diante Da Proposta De “desemprego Do País

A fratura entre um independentismo optimista, partidário de uma certa distensão, e outro partidário do choque direto é um fato. Entre os primeiros estão ERC e Òmnium -ainda que se imponham na surdina para não ser riscados de temperados-; os segundos continuam a Puigdemont e a Torra sob a sua tutela. A reação à proposta da CNA no secesionismo tem sido mais bem morna, em parte por medo de um fracasso da convocação.

Òmnium -a entidade que a mão da Assemblea tem liderado desde 2012, a mobilização civil do independentismo – ele sai da proposta. Ambas as propostas não coalhado na direção de Òmnium, que prefere se concentrar em seus programas de carácter cultural e linguístico, sem esquecer as suas reivindicações de caráter “nacional”. A proposta de greve para o dia 1 também não foi bem acolhida no seio de DRC, uma vez que evidenciou as diferentes sensibilidades no seio do Govern. Assim, enquanto o porta-voz e ministro da Presidência, Elsa Artadi (JpC), se limitava a terça-feira a dar-se por ciente da notícia -“não temos mais detalhes.

Vamos ver o que quer dizer, exatamente, o que quer dizer o Desemprego do País”-, o conselheiro de Emprego, Assuntos Sociais e Famílias da Generalitat, Chakir o Homrani (ERC), a rejeitou de plano. Os paros não são “mecanismos de comemoração de situações”, disse, negando, por sua vez, a capacidade da CNA para a convocação de uma greve, algo reservado legalmente os sindicatos. “As manifestações e as greves são mecanismos, não de comemoração de situações, mas que abordam é a realização de objetivos sociais de qualquer tipo”, explicou em uma entrevista à Ep. “Há que clarificar a proposta que fez a ANC porque ainda não está clara”, acrescentou.

Sincero: não deve esconder o que pensa ou o que você sabe. Simpático: você deve mostrar que está preparado para ajudar o seu auditório. A ordem das partes pode ser natural ou artificialis. A elocutio afeta o modo de expressar verbalmente de forma adequada os materiais da elaboração ordenados pela dispositio. Na atualidade, a elocutio é o que se chama estilo.

  • 9 – Social Media
  • O MASTER chief RETORNA PARA o XBOX 360
  • você Responde às perguntas da comunidade
  • Sempre terá conteúdo para atualizar suas redes sociais
  • 3 Segundo Governo de Mariano Ignacio Prado

A elocutio se manifesta através de dois aspectos: as qualidades e os registros. As qualidades elocutivas são três: puritas, perspicuitas e ornamentados. Os registros da expressão (gera elocutionis) são modalidades estilísticas que dependem da combinação das qualidades elocutivas. A compositio analisa a estrutura sintática e fónica dos enunciados, isto é, seus constituintes e suas diferentes possibilidades de distribuição no discurso.

Assim, distinguem-se a compositio sintática (centrada na oração, e suas partes) e a compositio) (centrada na combinação de palavras em oração por razões fonéticas). A compositio sintática: distinguem-se dois tipos de estilo: o estilo solto ou seguido e o estilo jornal ou período. A memorização do discurso elaborado depende de dois tipos de memória de acordo com os escritores clássicos: a memória naturalis (inata) e a memória compostela, que envolve uma série de processos mnemônicos para facilitar a lembrança. Também chamada pronuntiatio, se ocupa da declamação do discurso, prestando atenção a modulação da voz e dos gestos, que deve estar em consonância com o conteúdo do mesmo.

O genus iudiciale é o que corresponde às exposições realizadas perante um juiz, com o objetivo de acusar ou defender, a respeito de um assunto do passado, uma causa prejudicial em termos de justiça contra injustiça. O genus deliberativum é o que corresponde aos discursos pronunciados perante uma assembleia; o orador pretende aconselhar ou dissuadir em termos de utilidade. Em Frente ao gênero judiciário, que se concentra em eventos passados, o tema dos discursos deliberativos é como enfrentar no futuro um determinado assunto.

] Estas espécies estão presentes em três gêneros. No deliberativo, uma vez que se busca convencer o auditório de uma determinada tese, as mais frequentes são a suasoria e a platéia. No judiciário, em que você tem que defender-se de acusações ou realizá-las, predominam as espécies acusatoria e exculpatoria e o epidíctico, que serve para reforçar os valores de uma comunidade, a laudatoria e a vituperadora. Embora predominem mais em determinados discursos, das sete espécies estão em três gêneros.

Em um discurso deliberativo, você pode usar a espécie acusatoria e a vituperadora, por exemplo, o político que propõe uma lei pode acusar o rival de algo ou de fazer-lhe uma afronta com o fim de cardoso. Da mesma forma, no discurso judiciário são frequentes as espécies vituperadora e laudatoria. Um caso muito conhecido é o discurso de Cícero Pro Archia Poeta, em que há um extenso elogio da poesia.

Podemos conhecer a retórica ateniense através dos discursos que deixaram grandes oradores como Demóstenes, Lísias, ou Isócrates. Heródoto e Tucídides em suas obras sobre a história, além de eventos, também escreveram discursos pronunciados por personagens históricos como Alcibíades, Xerxes ou Péricles. Do ponto de vista teórico as fontes mais importantes são a Retórica a Alexandre, escrito por Anaxímenes de Lámpsaco e a Retórica de Aristóteles.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: