O Desafio De Ser Empreendedor, A Partir Dos Anos 50, E Em Crise

O Desafio De Ser Empreendedor, A Partir Dos Anos 50, E Em Crise

Se pensarmos em empreendedores nos vem à mente pessoas entre os 20 e os 30 anos que buscam uma saída de trabalho, apesar de a taxa do 57,2% de desemprego. Para empreender com esta idade, as principais vantagens são, segundo os próprios autônomos, a experiência, um possível colchão econômico (avalizar a casa, carro, etc) e a idade, pois transmite mais seriedade. As desvantagens são as cargas familiares, que essas pessoas ‘se joga’ mais do que os jovens, porque eles têm hipotecas e mais obrigações.

A Lei implica, também, uma importante redução de encargos e custos.

O projeto de Lei de Empreendedores, aprovado recentemente pelo Conselho de Ministros, busca facilitar a atividade empreendedora. Os desempregados que estejam a receber prestações de desemprego podem capitalizar esse dinheiro para empreender. Além disso, facilitará abrir uma empresa em 24 horas e menos burocracia. A Lei implica, também, uma importante redução de encargos e custos. Toñi Campanha e Maria José Mateus.

  • Melhora a estabilidade da organização e a sua flexibilidade
  • 3 – Desvantagens dos Negócios on-line ou Negócios pela Internet
  • Bolsas de emprego do Estado
  • 10 FARC intensificam ações
  • Sua orientação para o mercado é muito fraco
  • Vantagens de criar uma loja online Magento
  • A quem se destina o produto e/ou serviço que oferece

Toñi Campanha, depois de participar como voluntária em um Expediente de Regulação de Emprego (ERE) no Mundo, decidiu iniciar o seu caminho empreendedor. De fato, pediu para “poder colocar em prática tudo o que aprenderam”, garante. Toñi, juntamente com Álvaro Dantas, José Maria Mateus e José Carlos de Linho, que também vêm de uma situação semelhante, fundada há um ano, Iredu Team, empresa especializada em assessorar empresas em formação, eventos e comunicação. A consultora cada um tem a sua especialidade, Toñi se dedica à comunicação corporativa, Álvaro de formação, José Maria dos eventos e José Carlos da comunicação audiovisual.

A idade não tem sido nenhum impedimento, “só a crise”, mas foi, para eles, uma “oportunidade”. Os desempregados dizem, “não faz falta que te ajude ninguém, você tem que tirar o que tem dentro”. Com 54 anos Gonzalo Mijangos foi lançada a criar uma empresa de exportação ‘low cost’, Interamex, depois de dois recentes fracassos empresariais, um deles de venda online de óculos.

Portugal é um “bicho raro” e não é seguro para os bancos ou financeiras.

Gonzalo resiste à espera de encontrar algo e prefere usar ele mesmo a iniciativa. Assegura que o seu novo negócio “cabelos brancos vêm bem” porque “oferece trajetória e um saber fazer”. Mas, acrescenta, “bater se paga com sangue”. Portugal é um “bicho raro” e não é seguro para os bancos ou financeiras. Apesar desses inconvenientes, Mijangos recomenda “vivamente” começar o caminho empresarial, mas com um carácter específico, ele confessa ter muito mau leite, e motivação que “é o sucesso do empresário”.

E, acima de tudo, começar “sem desplumarse”, ressalta. Domingo Gaiteiro, engenheiro informático, que desde há um ano leva a sua própria empresa, Processo Social, no apoio a pessoas que trabalham em empresas de tecnologia. Depois de 12 anos na multinacional francesa a Atos Origin lhe dispensaram, encontrando-se assim perante “uma situação desconhecida”, garante.

Indica que este “não era pela idade, mas pelo meu talento. Portugal despreza o talento”.

Durante um ano, procurou trabalho “sem descanso”, chegando a fazer mais de 50 entrevistas. Em uma delas lhe abriram os olhos, “Domingo, com o talento que você tem, você tem que estar mudando a sociedade, não trabalhar para os outros”, e assim o fez. Não lhe foi fácil, “não me ajudou em nada, nem na Administração, nem o desemprego, nem os sites de empreendedorismo, que são uma mentira”. Indica que este “não era pela idade, mas pelo meu talento. Portugal despreza o talento”. A crise económica é, de acordo com Gaiteiro, “valores”. Isso é “trabalhar enquanto contribuições o valor à empresa”.

Descritivo: Nomes que descrevem o benefício ou a função de um produto, tal como a Whole Foods ou Airbus. Alliteration ou rima: Nomes que são engraçados ao pronunciarlos e que se fixam na mente, tal como Reeses Pieces ou DunkinDonuts. Sugestivo: Nomes que evocam uma imagem relevante viva, como a Amazon ou Crest. Neologismos: Palavras totalmente feitas, como o Wii ou Kodak.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: