“Não Quero Ser O Ator Do Momento; Eu Prefiro Avançar Sem Pressa”

“Não Quero Ser O Ator Do Momento; Eu Prefiro Avançar Sem Pressa”

Depois de fazer pequenos papéis em Amar é para sempre, ou Aída, conseguiu o seu primeiro papel de protagonista na série coral. O que gosta de fazer no verão? Eu gosto de viajar. Embora muitas das viagens que faço por prazer, só aproveitando para fazer reuniões informais de trabalho. Acabei de chegar de Berlim e agora vou para Paris e México. Mas então eu irei para Cancun e aí sim farei o que eu mais gosto: ler, descansar e não ter wi-fi, para que me desligar de verdade.

o Que foi feito depois de terminar as filmagens da segunda temporada de Velvet Coleção? Eu fui escopeteado a Benicassim, onde veraneio desde os 3 anos. Lá encontro a paz. Como se sentiu na primeira vez que você viu na televisão? Foi muito engraçado, porque era uma aparição que fiz na série Aída em 2011, com apenas duas frases. E tinha toda a família e os amigos expectantes, aguardando o capítulo.

Quando eu saí, foi um segundo e meio. Literal. Ja Ja ja. Havia tanta expectativa entre os meus, que me mandavam mensagens dizendo: “você” “isso é tudo? “. E ele lhes respondia: “sim, é um começo”. Os primeiros trabalhos na televisão foram mais lúdicos. Agora eu sou mais exigente. Profissionalmente eu gosto de ver como vou avançando. Nesta viagem que estou fazendo é muito bonito.

Como você senta em um de galã? Se dá bem. Pensou que eu ia ficar grande, porque isso não vai com o meu eu todos os dias para nada. No começo me dava um pouco de medo, mas foi um desafio e, finalmente, correu muito bem. Eu comi muito carinho para Sergio Godó. Estou muito orgulhoso dele e de ter criado um personagem longe dos topicazos de galã. Haverá uma terceira temporada de Velvet Coleção? Eu acho que sim.

São muitas coisas para contar. Mas não há nada assinado. Se fala de Fernando Guallar como um dos jovens atores com maior projeção do momento. Isso assusta. Porque se criam muitas expectativas em torno de você e seu trabalho e você se sente com a obrigação de cumpri-las. Esta indústria do cinema é muito pouco segura.

Um dia você está em cima e outro para baixo. Eu não quero ser o ator do momento. Eu gosto de estar em um plano mais discreto e não ter nem pressa, nem ansiedade, isso pode matar um ator. Prefiro dar passos seguros. Não tenho pressa. Avançar pouco a pouco, com a cabeça. Há que ter claro que história quer contar. Acaba de rodar seu primeiro filme para o cinema com Carmen Maura e Clara Lago. Como tem sido a experiência? Absolutamente maravilhosa. Eu sou um ator muito observador e estou aprendendo muito.

  • O PP pede a Cort ‘que não corra demais’ para demolir o monumento de Sa Feixina
  • 3 Os diálogos da missão médica-cicv
  • 2 Jacques Lacan
  • 1 de setembro de 2010: é aditado o idioma Português-brasileiro
  • 40 horas. O humor que não falte
  • 3 Idade Moderna
  • Principais Redes Sociais. Gestão da ferramenta, ads, innsights e estratégia
  • The Longitude Prize

Eu gosto de potenciar o trabalho humano, e valorizo os atores que dão tudo tanto profissionalmente como humanamente. No filme, houve uma sintonia maravilhosa, com todo o equipamento. Como foi filmar em Barcelona? Eu sou um fã de Barcelona. Eu amo. Eu estou procurando um apartamento para comprar.

Temos filmado em Gracia; ir a pé para as filmagens foi fantástico. Se amanhã eu fosse viver para Barcelona viveria no Barri Gòtic. Me fascina. Espero que me venham mais projetos em Barcelona. Imagino que começam a reconhecê-lo na rua. Como é que leva a fama? Lá estou eu. Eu adoro o carinho das pessoas e que me peçam com educação, se podemos fazer uma foto.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: