Movimento De Esquerda Alemã Para Repensarse A Si Mesma

Movimento De Esquerda Alemã Para Repensarse A Si Mesma

Ludger Volmer talvez seja o que tem mais trajetória política. Foi o fundador Die Gruenen em 1979. Começou com o grupo de esquerda não dogmática. Nos anos de confrontos de fundis e realos em Die Gruenen criou “Forum de Esquerda” (tenta superar a disputa das duas asas).

Em 1985 Die Gruenen sofre vários reveses eleitorais nas regionais enquanto o SPD é feito com maioria absoluta; quebrar um tabu: rejeita-se a “autolimitación voluntária à oposição” para examinar “todo o espectro de possibilidades”. Um ano mais tarde, Joschka Fischer seria ministro do Ambiente e Energia na Alemanha; anteriormente havia praticado a política de tolerância de um governo social-democrata. Ludger Volmer entre 1990 e 1994 é eleito o porta-voz Dos Verdes.

  • Cronograma de acções
  • Coletivo de autores. Terapia da fala e foniatría. Havana: Editorial Ciências Médicas; 2008
  • o Que é o Pacto Europeu sobre Imigração e Asilo
  • 18 Unidade Tática de Resgate
  • Identifica quais são as redes sociais ativas
  • Eu gosto média por publicação

Afrontou a unificação alemã, a criação da Fundação H. Böll, da união de Die Gruenen (ocidentais) e Bundnis 90 (aliança da dissidência da Alemanha oriental). Anteriormente esteve envolvido em processos de paz em El Salvador, Chile, Nicarágua. Em 1994 a sua actividade centrou-se no comitê de assuntos exteriores.

o Resultado é o livro “Os Verdes e a política externa: uma relação difícil. Uma idéia, programa e histórico de eventos de política externa verde” enditado em 1988. Agora é considerado um verde, mas longe de seus antigos companheiros. Em 2009, escreveu “Os Verdes: Do movimento de protesto ao jogo estabelecido: um balanço”. Mostra como os equilíbrios internos de poder impedem de mudar a estratégia.

Sobrevivem discussões dos anos 80, em parte, vazios; se perduram é para manter os equilíbrios de poder. Não lhe acontece na velha política; a nova, como acontece com nós Podemos, também entra em colapso. A Henrich Böll, cancelou a apresentação de “Os verdes”, Como acabou apresentado por Sigmar Gabriel, líder do SPD.

Foi o arquiteto, em 1998, da Coalizao SPD-Gruenen. Joschka Fischer, foi nomeado Secretário de Estado das Relações Exteriores para a surpresa de Jutta Dirfurth. Tom Konig séria embaixador U. N. Ludge Volmer faz parte de outras plataformas de reflexão, como impulsionada por Hermann Scheer, Instituto de Solidariedade Moderna; criada após o fracasso de um governo rubro-verde em Hesse apoiado por Linken. Em 2013, publicou: Gritos de guerra e as armadilhas da política externa alemã.

Os inimigos de uma transformação ecológica e social. O que sabemos de Die Gruene? Tendo de correspondente de O País na Alemanha, Hermann Terstsch, naqueles anos, a informação sobre os verdes não passava de desenho animado: “A direção executiva ataca o grupo parlamentar em anúncios publicitários. Os líderes verdes se qualificam ineptos e traidores entre si. Os fundamentalistas (fundis), em grande parte ex-membros de seitas comunistas extintas e portadores da mensagem ecopacifista pararreligioso…”.

Em 1986 dizia Otto Schily que era o verde mais perigoso, algo que sabe a classe política. Nas reuniões de Die Gruene parece um infiltrado: não calça tamancos ortopédicos, nem camisolas tricolor com adesivos. Não há muitas semanas, a imprensa francesa para os mesmo malicioso comentários: Pierre Rabhi ou l’idéologie aveugle à tout raisonnement scientifique sur l’environnement.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: