Moradia Entra Na Era Digital

Moradia Entra Na Era Digital

A transformação digital é um processo que afeta múltiplas facetas da economia e que ninguém questiona, já que a tecnologia faz parte ativa da vida dos cidadãos. Palavras como 3D, aplicativo ou app – e a realidade virtual se tornaram cotidianas e não são distantes ou para um setor tão tradicional como é o imobiliário. Nos anos 2000, ocorre o primeiro marco da digitalização do mercado imobiliário com o nascimento dos primeiros portais de compra e venda e aluguel de casas. Desde então, a modernização do mercado tem acompanhado o avanço tecnológico, encontrando-se com as reticências próprias do lado mais tradicional do setor, relacionada com a intermediação.

As novas ferramentas jogam, precisamente, a favor da desintermediação. Mas essa transição de imóveis para a era digital foi visto acelerada com o crescimento da tecnologia móvel e as startups, que têm esse marcado caráter digital. Neste sentido, a nível tecnológico serão atisban três pedras angulares que marcam a ruptura e dinamizem o mercado: as apps, a modernização dos marketplaces e o big data.

O virtual nunca foi tão real. Quem se surpreende de que se procure andar através de um smartphone, de que se possa visitar uma futura casa sem sair do sofá ou de poder ligar o aquecimento antes de chegar a casa? Carlos Álvarez Ramallo, Agency Relationship Manager da Google Portugal.

Por exemplo, Goolzoom. Baseado em geolocalização, também se posiciona Relocation Assistant.

deste modo, já existem tantas aplicações imobiliárias como vertentes do setor. Ferramentas que, ao fim e ao cabo, facilitam enormemente a tomada de decisões e tornam mais fácil o trabalho dos diferentes atores do mercado: proprietários, locatários, compradores, gerentes de fazendas, agências imobiliárias, promotores ou financiadores. Todos se veem beneficiados pelas novas tecnologias. Por outro lado, para aqueles que estão pensando em comprar ou vender um imóvel, tem outras tantas aplicações orientadas a otimizar este processo. Por exemplo, Goolzoom. Baseado em geolocalização, também se posiciona Relocation Assistant. Enquanto que Housfy, por sua vez, dá ao vendedor a possibilidade de registar o seu alojamento em plataforma e de eliminar a necessidade de recorrer a agências tradicionais.

Por outro lado, se o usuário procura andar (para comprar ou alugar) você pode baixar o app BeFinders. Entrando na área da domótica há vários avanços, como os comercializados pela linha Google Home, que permitem controlar a moradia, dando ordens a um dispositivo. Neste ponto, cabe destacar também que o sucesso das aplicações não se limita à busca de uma moradia, mas que vai mais além. Algumas empresas como Wayfair ou a Ikea já ofertam em seu catálogo a possibilidade de simular como ficariam os móveis no novo lar, através da tecnologia de realidade aumentada.

  1. Phnom Pehn ’86
  2. Elaboração do Documento de Segurança
  3. 2 Em Portugal
  4. Rodas com jantes de liga
  5. Ofertas – produtos com grande desconto
  6. 2 O cacique Mocoví Aria Cainquin
  7. 2. 23
  8. 4 Tendências sobre legislação

Outros processos cotidianos -e muitas vezes cansativos, como as reuniões de vizinhos foram digitalizados. Aplicativos como FincasOn ou Colindar permitem a entrega de documentos on-line e a votação dos diferentes pontos do dia. 50 euros. Este montante representa o principal requisito para se tornar um investidor imobiliário. Obrigado, uma vez mais, às novas tecnologias.

Foram conscientes de que revolucionar o mercado imobiliário não seria fácil.

Inovação que permite o impensável: que um usuário de pé, sem apenas conhecimentos sobre o mercado, possa investir em um projeto imobiliário, através do sistema de crowdfunding ou micromecenato. Trata-Se do modelo Housers, impulsionado por dois empresários espanhóis que pousou no setor para tentar transformá-lo. Foram conscientes de que revolucionar o mercado imobiliário não seria fácil. Álvaro Lua, sócio-fundador desta empresa. Nesta plataforma, definida como o primeiro portal de investimento imobiliário, o usuário se registra, analisa os diferentes projetos disponíveis, transfere os fundos para a sua conta e comece a investir.

simples Assim. Depois, durante o processo, o investidor pode acompanhar a evolução de seu projeto e ir recolhendo receitas. No caso dos portais imobiliários tradicionais, estes passaram de um mero recipiente de oferta para se tornar uma completa ferramenta que serve para acelerar os processos de compra, venda e aluguel. Alguns deles, inclusive, oferecem serviços de consultoria e gestão hipotecária e ferramentas para os profissionais.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: