Meu Filho É Blogueiro E Ganhar Mais Dinheiro Do Que Eu

Meu Filho É Blogueiro E Ganhar Mais Dinheiro Do Que Eu

Este artigo conta a história em primeira pessoa de João, português de 55 anos, pai de família e trabalha desde muito jovem no mundo da construção. Por acaso nos encontramos, e este é o seu relato. Não parava de ouvir que a Internet abriu um mundo de oportunidades de negócio totalmente novas e revolucionárias e isso, especialmente, se estavam aproveitando os mais jovens.

Mas isso é o que é? Não vou enganar ninguém. Eu sou uma daquelas pessoas que, desde bem jovem, eu estava trabalhando na construção civil como pedreiro, de sol a sol. Hoje tenho resistido a crise e, mais ou menos, posso dizer que não vai me fazer mal. Isso sim, como muito, me dá para colocar um prato de comida na mesa todos os dias e me dar algum capricho pessoal, mas pouco mais. A respeito de economizar é melhor não fazer menção. No entanto, há já algum tempo, comecei a me dar conta de que meu filho pequeno passava muito tempo em frente ao computador.

A verdade é que, tendo tudo o que aparece em notícias de cada dia, estava um pouco preocupado. Apesar disso, cada vez que lhe perguntava, eu dizia que estava ‘trabalhando’, ao que eu lhe respondia que saísse para a rua para dar cv e busca um emprego como Deus manda. Um bom dia, vi que a casa chegou uma carta da Segurança Social para meu filho.

Quando eu lhe perguntei o que era, a resposta me deixou atônito. Já Se tinha inscrito na Segurança Social como autônomo! Incrível. Disse-lhe que era uma loucura, que não tinha renda, mas ele respondeu-me que não me preocupase, que estava prestes a me convencer de que não havia nada a temer. Ao cabo de um par de dias, ele me mostrou um depósito na sua conta de mais de 2000 , o qual foi recebido por seu trabalho como blogueiro. Efectivamente, o meu filho cobrava muito mais do que eu e nem sequer sabia como.

É verdade que ser blogueiro, devido às características intrínsecas da Internet, é uma opção ao alcance de qualquer pessoa. Agora, uma coisa é criar um blog pessoal, e outra muito diferente é fazê-lo rentável. E é que para isso se exige conhecimentos de SEO, de encontrar um nicho de mercado com uma necessidade que se encontra pendente de satisfazer, fornecer conteúdos de qualidade e, o mais difícil, calar o público.

  • você Pode “inspirar” o que eles estão fazendo
  • Comunidade (nos ajudam a encontrar e integrar comunidades)
  • 4 A família 4.11.4.1 O casamento
  • AleOrMont (discussão) 21:56 12 jun 2017 (UTC)
  • Informação sobre contracepção e de meios para levar uma vida sexual saudável
  • Lançar um novo produto
  • 2014: Amiga Minha (Remix) Feat. O Roockie, Zion & Lennox

Também pude compreender que existem tantos tipos de blogueiros como blogs, evidentemente. Os blogs pessoais, provavelmente, eram os que apoiam melhor a essa idéia preconcebida que eu tinha na minha cabeça. Ou seja, uma pessoa se anima a escrever sobre qualquer assunto que domine e o publica na web.

Depois, se gera interesse, acaba recebendo visitas, das quais tem a receita de publicidade. No entanto, os blogs profissionais sem marca não tinha nem idéia. Sem dúvida, esta área é muito mais ampla e abrange uma infinidade de casos. Por exemplo, parece ser que há sites que criam blogs ‘satélites’ que redirecionados ao site principal ou para uma loja online determinada.

deste modo, conseguem gerar renda através de duas vias: os do blog em si mesmo e do portal principal. Pode parecer um pouco complexo, mas, ao entender como se obtém receitas através do Google, tudo fica muito mais claro. Falei Antes de que existem duas grandes categorias de blogs.

Pois bem, este também vou falar das duas formas que existem de ganhar dinheiro com este tipo de portais, as quais, além disso, são totalmente complementares. A primeira forma de gerar renda através de um blog é através do Google Adsense, ou seja, a plataforma de inserção de publicidade do Google.

em média, por cada 1000 visitas que tenha um blog gera uma renda. Assim, se se trata de um blog que recebe este número a cada dia, se encontraria com o paradoxo de que apenas obtém 30 mensais de benefício. Se se tiver em conta que, para obter esse número de visitas, o normal é usar umas 10 horas semanais, o melhor é mesmo dar o cálculo de qual é a retribuição por cada uma delas. Evidentemente, esses números são muito baixas, mas, como me disse meu filho, não devem levar ao desânimo.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: