Inizia Hair Cosmetics: Inizia Hair Cosmetics Ou Como Tomar, Onde Parece Impossível

Inizia Hair Cosmetics: Inizia Hair Cosmetics Ou Como Tomar, Onde Parece Impossível

Meter a cabeça no mundo dos produtos de cabeleireiro profissional é realmente difícil. No entanto, três empresários madrilenos têm conseguido ter um site onde dominam as grandes marcas mundialmente conhecidas. Nascida em plena crise, Inizia Hair Cosmetics é a prova de que se pode tomar até em setores, de aparência, impossíveis.

Há quatro anos, provenientes do mundo do cabeleireiro, três parceiros tomaram a iniciativa de criar uma marca de produtos cosméticos para o cabelo, mas 100% espanhola. Roberto Aranda, diretor de marketing, Ángel Fernández, diretor técnico e artístico, e José Luis Dominguez, diretor comercial foram seus fundadores. O setor de cabeleireiros em Portugal não passa por seus melhores dias. Com a subida do IVA no ano de 2012, que passou de 8% para 21%, estas empresas, em geral pequenas e médias empresas, viu reduzido o seu volume de negócios 35%, segundo dados de Stanpa, a Associação Nacional de Cabeleireiro e Cosmética.

  • 4 Faltas e reinício do jogo
  • Loja de roupas “Como iniciar um negócio de roupa, sem dinheiro, Faça Já!.”
  • Aplicar e reformar a Constituição de 1857, e, se necessário, promulgar uma nova Carta Magna
  • Filmada em Joinville (França, 1931)
  • Mercado internacional: Revê as altas e as baixas
  • O negócio vai à falência e se desperdiça o dinheiro e tempo

O setor conta com mais de 140.000 pessoas empregadas, principalmente para as mulheres, em mais de 50.000 salões, que levam quatro anos vendo perigar seus postos de trabalho. Por outro lado, o consumo de produtos cosméticos superou durante o ano de 2015, os 6.400 milhões de euros, o que representa um crescimento de 1,5% em relação ao período anterior. “Quisemos inovar em um setor por falta de recursos”, lembra Aranda.

“Tínhamos claro que Inizia não seria apenas uma marca. Por isso, proporcionamos a nossos clientes (barbeiros) e oferecemos formação em um setor bastante tradicional”, conta. Existem no mercado 145 marcas de produtos profissionais. Não obstante, “apostamos competir em qualidade com a máxima inovação”, afirma o diretor. E não sentem medo ao pertencer a um mundo cercado de multinacionais: “Temos capacidade de manobra e maior margem. Podemos aproximar-nos mais os cabeleireiros e executar ações que dentro de uma grande companhia é difícil”, diz. “Nosso catálogo abrange tudo o que se pode encontrar em um salão de cabeleireiro, mas 90% das vendas vem da gama de coloração”, indica o executivo.

Os clientes de Inizia são, em sua maioria, cabeleireiros pequenas que têm conhecido os seus benefícios através de uma rede comercial. “Em mais de 1.000 salões de beleza de toda a Espanha pode ser encontrado já com nossos produtos”, indica. Inizia começou em 2012 e, praticamente sem recursos. “Capilarizamos o desemprego que tivemos para montar este negócio, sem ajudas externas, mais do que nossas mãos”, lembra Aranda.

Então, demorou cerca de 100.000 euros para começar a fabricar e distribuir. “Não recebemos jamais, nem uma única ajuda ou financiamento público e já quase não contamos com isso”, afirmou o diretor. “Nestes quatro anos de vida foi cobrado cerca de 1,4 milhões de euros e no primeiro semestre de 2015, já crescemos 12% em relação ao mesmo período do ano anterior”, aponta. Além disso, trabalham para a empresa mais de 30 pessoas e tem uma rede de comerciais presente em toda a Espanha. Seus planos de futuro consiste em seguir a linha do que têm sido até agora. “Buscaremos oferecer a máxima qualidade e continuar cuidando de nossa imagem”, conclui.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: