Guia Para Uma Estratégia De Marketing Político Online

Guia Para Uma Estratégia De Marketing Político Online

As Redes Sociais ajudam a melhorar o conhecimento e a comunicação com a cidadania e, em especial, os eleitores. As Redes Sociais permitem que o político chegar de forma direta para a cidadania sem a participação de jornalistas. A quantidade de pessoas presentes nas Redes Sociais cresce todos os dias. As Redes Sociais permitem que os políticos dar um tratamento personalizado a sua audiência.

O primeiro passo para definir uma estratégia de redes sociais para um político ou funcionário público é determinar os objetivos desta estratégia. Usá-lo como canal de propagação de informações do que acontece na campanha política ou gestão pública. Gerir a reputação do político ou funcionário público. Aumentar a visibilidade do funcionário público. Aumentar a sensação de proximidade com a comunidade. Aumentar o conhecimento do público através de uma escuta ativa. Usar o Crowdsourcing (democracia participativa) para que o público participe da construção de propostas de campanha. É muito importante determinar o público-alvo ao qual a estratégica de comunicação ou campanha quer chegar, através das redes sociais.

Demográficas e sociais, demográficas: faixa etária, sexo, nível de escolaridade, nível econômico, estado civil, etc., Geográficas: cidade, país, etc., Psicográficas: Estilo de vida, personalidade, interesses, etc., Conhecendo o público e os objectivos da participação em redes sociais, você deve definir as redes sociais em que você participa. Twitter: este canal é ideal para relatar o que acontece na campanha ou gestão pública em tempo real. É também um excelente meio de transmissão de informação do que se publica em outros canais, como o site, Facebook, etc

Facebook: esta rede social permite fazer uma gestão mais emocional e relacional. As fotos e vídeos são geralmente muito eficazes neste canal. Youtube: serve como um repositório de vídeos que gere as campanhas e estratégias de comunicação política 2.0. Esta informação deve ser viralizar com as outras redes sociais, como Twitter, Facebook, etc. Instagram: após o Facebook é a segunda maior rede social do mundo que tem mais usuários ativos em um mês. Alguns estudos têm comprovado que é mais emocional que o Facebook. Flickr, LinkedIn, Pinterest e outras redes sociais também podem ser usados por parte de políticos e personagens públicos. Você deve criar conteúdo de valor agregado ao público-alvo, para isso é necessário conhecer muito bem seu público-alvo.

Para conseguir uma gestão profissional do conteúdo nas redes sociais, recomendo contratar um Community Manager que tem experiência em redes sociais de políticos e personagens públicos. É importante observar que o conteúdo em vídeos do político ou funcionário público é muito eficaz na geração de confiança e proximidade. Deve-Se promover as pessoas para que participem e se comuniquem com a companhia ou entidade pública.

  • Marketing
  • IESE Publishing >
  • Eutiquio Ramos, coordenador de acervos do AGN 1984-1988 (Arquivo Geral da Nação México)
  • ‘o Stop a Fazer?’, por Marcos López
  • 4 Renovação da oferta e lançamento de BonoPlus

É muito importante pedir feedback das propostas e planos programáticos. Você deve responder todas as perguntas e comentários que façam as pessoas em todas as redes sociais. Você pode fazer também uma estratégia de crowdsourcing para construir de forma participativa o plano programático da campanha. Deve-Se fomentar uma cultura de discutir com argumentos e não acabar atacando a pessoa, para isso é indispensável perder o medo das críticas. Podemos usar as redes sociais como um canal que vai ajudar a validar a aceitação ou rejeição das propostas do candidato ou funcionário público.

Você deveria usar as redes sociais para chegar aos militantes ou simpatizantes do político ou funcionário público. Motivar a chamar outras pessoas para falar do candidato. Motivar amigos e familiares para se cadastrar como simpatizante. Desenvolve estratégias para que jornalistas e líderes de opinião sigam nas redes sociais as contas de campanha ou o funcionário público, isso facilitará a propagação da informação emitida. Uma boa estratégia é publicar informação em tempo real, já que os jornalistas e líderes de opinião querem ter informações de primeira mão.

Usar os dispositivos móveis para entregar informações em tempo real para a audiência. Nos atos públicos costumam funcionar bem os selfies com a comunidade para gerar confiança e proximidade. Tudo o que está acontecendo na campanha ou gestão pública offline deve ser informado pelas redes sociais e outros canles online para garantir que ambas as campanhas sejam coordenadas e com objetivos comuns. O candidato ou personagem público deve fazer referência do que acontece nas redes sociais, em eventos offline.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: