Europa (Espanha) Têm Futuro

Europa (Espanha) Têm Futuro

A mensagem foi encorajador. Muitos participantes da última jornada da ExpoManagement, realizada na quinta-feira em Madrid, ficaram com um certo alívio. Economia e Finanças com o Governo de Rodríguez Zapatero, Pedro Solbes. É mais, se não ficou claro, insistiu: “O euro continua poderoso, vivo. Há que desenvolver esse com medidas de coordenação e de uma política fiscal forte”. Para o Tempo não é o momento de dar lugar ao pessimismo, mas sim de encontrar uma oportunidade para que as dificuldades para empreender grandes mudanças. E afirmou que é importante crescer, ser mais flexíveis e competitivos, reduzir os custos e recuperar a confiança.

Solbes observou que, com relação a Espanha é muito mais otimista, apesar de alguns indicadores negativos, como a queda da exportação, “mas depois continuamos participando da quota internacional”. Elogiou o papel e a modernização das empresas portuguesas que têm vindo a competir fora da Espanha, e garantiu que nos resta um tempo muito longo caminho em inovação.

Para este professor de estratégia, o hotel deixou de ser único, perdia parte de sua essência.

Porter contou uma anedota muito gráfico sobre como competir. Mas um dia a água já não estava. Era parte dos cortes. Para este professor de estratégia, o hotel deixou de ser único, perdia parte de sua essência. Original como o modelo sueco Ikea, explicou Porter, já que esta empresa tem muito claro o seu modelo de negócio e quem são seus clientes, algo que lhes converte em incopiables. Outro professor e escritor de sucesso, Nassim Taleb, ofereceu seus próprios conselhos, e algumas advertências, as economias europeias. E acima de tudo avisou a Governos, empresas e economias familiares do perigo da dívida.

Alan Greenspan e Ben Bernanke, presidente da Reserva Federal, não ter visto os riscos evidentes. Assim que este ensaísta, autor do best-seller O cisne negro: o impacto do altamente improvável, recomendou aos gestores presentes a aprender com os fracassos. O professor de Economia da Esade Xavier Mena, que participou de uma mesa redonda em que também falou sobre os desafios que se lhe colocam a Portugal, considerou que “a reforma de trabalho deveria ter sido muito mais profunda”. Entre outras razões porque o decreto-lei não inclui a reintegração no mercado de trabalho não é o tema de flexibilidade de horário.

  • Existem novos mercados que não foram tocados ou estão saturados
  • Conta corrente (=balança comercial) 1. Mercadorias (A)
  • é Proibido desanimar
  • 2. 23
  • 4 Regulação do tequila
  • 2014: “O dia em que parou de fingir”

O diretor mais bem sucedido do século XX, eleito durante seu período como presidente da General Electric (GE), Jack Welch, mandou uma grande mensagem para os gestores e empresários espanhóis. E lembrou a época em que, nos Estados Unidos governo de Jimmy Carter, “as taxas de juro estavam acima de 20%, o desemprego chegava a 15% e o dólar passar dos solos, ser americano era mal visto”. O segredo para sair à frente, apontou, é cercar-se de “os melhores, não autocompadecerse e encontrar uma oportunidade”. Eram tempos difíceis, mas “você pode escolher entre ser uma vítima ou sair do impasse”. Outra recomendação que enviou os espanhóis foi a de ser muito transparentes.

Recrear-se, infelizmente, também não é bem visto nestes momentos. Tentar chegar ao máximo. É o que acredita Pedro Solbes que deve fazer um político, em particular um ministro. Solbes à pergunta do diretor-geral da Esade, Carlos Gomes, que também suscitou a mesma questão a Rodrigo Rato. Por sua parte, Rute insistiu na formação da classe política. Também destacou a capacidade de cobrir-se com uma couraça “, porque a política é desastrosa”, mas também é importante a capacidade para saber comunicar e para sintetizar toda a informação que manejam.

Agrupa os fatores explicativos em cinco grupos: os recursos, a demanda, a oferta, As relações no setor, o governo, a gestão empresarial. Dentro deste conjunto de fatores Porter parte da teoria clássica e considera a influência dos recursos naturais. A existência de abundante petróleo pode ser um fator positivo para o desenvolvimento de uma indústria química. A abundância de florestas-madeireiros pode favorecer o desenvolvimento de empresas madeireiras e empresas fabricantes de móveis de madeira.

Por exemplo, a empresa sueca Ikea. A análise de Porter não está nos recursos naturais tradicionais, mas que dá uma grande importância aos recursos humanos. De especial relevância é o nível de formação e, portanto, os conhecimentos e capacidades dos trabalhadores. Assim como o nível de investigação e desenvolvimento de um país. O tamanho da demanda. Os grandes mercados com uma grande demanda por um produto favorecem o aparecimento de grandes empresas que atendem essa demanda.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: