Estrada De Ferro Do Sul

Estrada De Ferro Do Sul

O caminho de Ferro do sul, foi uma empresa de capitais britânicos, que construiu e operou-se uma rede de ferrovias na Argentina na segunda metade do Século XIX até a primeira metade do Século XX. A companhia foi fundada por Edward Lumb, em 1862, como Buenos Aires Great Southern Railway (BAGS) e seu primeiro diretor geral foi Edward Banfield.

Os últimos anos da década de 1920 marcou o pico da prosperidade da empresa. No entanto, pouco depois, começaram a sentir-se os efeitos negativos da desvalorização progressiva do Peso Moeda Nacional e o aumento dos custos trabalhistas. Além disso, a companhia sofria diante da crescente concorrência do transporte automotor. Depois que o presidente Juan Domingo Perón nacionalizara dos caminhos de ferro em 1948, esta linha passou a denominar-se estrada de Ferro General Roca. 19 Administração Conjunta do F. C.

A Praça Constituição era em Buenos Aires, o ponto de encontro e concentração das carretas que vinham do sul, entrando na “Rua Larga” (atual Montes de Oca), depois de sortear o Riacho da Ponte velha de Galvez. Este meio de transporte era caro, dificultando mover os produtos longas distâncias para comercialização e exportação. Lá em 1860 chegaram 7.416 carretas carregadas com lãs e couros (cada carro e podia transportar cerca de 25 volumes de 100 kg cada um), cobrando frete por valor de 4.153.638 de pesos moeda corrente.

  1. Revenda de hospedagem na nuvem
  2. 3 Média distância
  3. Mercado O Dourado
  4. 22 – Escrevendo e escrevendo artigos
  5. Causa que gera a vaga
  6. 1 contra-revolução chiapaneca

Além disso, o Mercado de Constituição representava as 2/3 partes do tráfego total do sul. No que diz respeito ao transporte de passageiros, a situação era semelhante. As diligências realizadas 3 viagens mensais a Lobos, Acassuso, 25 de Maio, Lisboa e Dores, enquanto que a Tandil e Loberia faziam-se duas vezes por mês, e a Bahia Blanca, apenas uma.

Este sistema de transporte tinha imensas desvantagens.

Eram acompanhadas em suas longas viagens pelo cuarteadores, que ajudavam a transposição de rios e córregos. As paradas eram pontos de encontro, os terminais daquela época. Em Lomas de Zamora, era A Botica (Av. Buenos Aires para o sul. Este sistema de transporte tinha imensas desvantagens. Nem todos os caminhos eram tais.

Além disso, a presença de cursos de água obrigava a grandes desvios. Como agregado, a marcha diária era de apenas 80 km, Os passageiros podiam comprar bilhetes de 3 tipos. Embora os 9 a 14 passageiros viajavam juntos, esta diferenciação se aplicava ao pé da letra quando se apresentava algum problema. Quando tinha que colocar o ombro para tirar o carro de um lodaçal, lá estavam os 3.ª. Classe a par de cuarteadores.

Tudo isso tornava a Praça da Constituição, o local ideal para construir a Estação Cabeceira de uma Grande Ferrovia que unisse a Capital com o sul da Província. Em agosto do ano de 1861, o senhor Eduardo Lumb solicita a concessão de uma Linha do Mercado de Constituição até o povo de Outono.

Lumb ofereceu ao Governo da província de Buenos Aires uma garantia de 1.000.000 de pesos. O assunto foi amplamente discutido na sessão de 12 de março de 1862, na Câmara dos Deputados. Foi assim que, por lei, de 27 de maio de 1862, a Legislatura bonaerence autorizou o P. E., a cuja frente estava o gral. Mitre como governador, para celebrar um contrato com dom Eduardo Lumb.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: