Então Contaram O Ramadã Estes Espanhóis No YouTube E Instagram

Então Contaram O Ramadã Estes Espanhóis No YouTube E Instagram

Hajar Brown, de madri, de 22 anos e estudante de engenharia civil, conta frequentemente coisas sobre o islã em suas Histórias de Instagram. “Tento não tanto explicá-lo, como fazê-lo natural, porque é o meu dia-a-dia”, explica a Verne por telefone, após um mês mostrando com fotos e vídeos de algumas de suas rotinas durante o Ramadã.

O que mais ele continua a surpreender neste mês de jejum é o fato de que não se pode beber água. Alguns seguidores ainda perguntam o que acontece se você for tomar banho e se entra água na boca. Em Espanha, existem em torno de 1,9 milhões de muçulmanos, de acordo com dados publicados pelo Estudo Demográfico da População Muçulmana, elaborado pela União de Comunidades Islâmicas de Portugal (UCIDE) e o Observatório da Andaluzia. E nesta quinta-feira terminou o Ramadã, o mês sagrado islâmico.

Além dos artigos que tentam explicar este pilar da religião muçulmana, que é considerado um momento de renovação espiritual e de estreitar os laços familiares, muitos instagramers e visualizações e foram lançados quiseram aproximar a sua experiência para seus seguidores. “Há muitas coisas mais difíceis do que não comer nem beber” desde que sai o sol que se põe, aponta Hajar Brown.

Especialmente “tudo o relacionado com o espiritual e com a introspecção”. Para a youtuber barcelona Ramia Chaoui o Ramadã é um período para “refletir e ponderar desafios”. Chaoui falava do Eid al-Fitr, a festa do fim do jejum do Ramadã, que foi realizada na manhã de sexta-feira. Em um vídeo publicado na noite anterior dava dicas para se preparar para essa festa e fez um balanço de seu mês de jejum.

  • 4,50 bilhões de dólares
  • É uma folha de rota para não se desviar do caminho
  • É vital para a sustentabilidade emocional com o cliente
  • Oferece conteúdo de valor
  • Quantas publicações são feitas
  • Têm profissionais especialistas em WordPress

Um mês antes havia compartilhado um vídeo com dicas para enfrentar o Ramadã. Ela, por exemplo, deixa o café um pouco antes para se acostumar melhor não utilizá-lo (apesar de que poderia fazê-lo antes do amanhecer como ao anoitecer). Também reduz “lanches, snacks e petiscos entre as refeições”, poucos dias antes de começar. E, para aumentar o tempo de reflexão, este ano se deu baixa da Netflix e se propôs cortar o tempo dedicado às redes sociais.

Chaoui, de 25 anos, tem mais de 30.000 seguidores no YouTube e outros 18.000 no Instagram. Não só fala do islã em suas redes, mas também temas como o feminismo, tal como o que Hajar Brown. Ambas foram forçadas a responder a tópicos sobre este tema, principalmente pelo fato de usar o véu. “Não há um único feminismo”, afirma Chaoui.

Outra forma de mostrar como é o Ramadã consiste em convidar alguém para participar. Como fez o youtuber Hamza Zaidi com Wismichu. Zaidi tem 1,2 milhão de seguidores no YouTube e 2,6 milhões no Instagram. O ano passado já publicou um vídeo explicando em que consiste este mês, mas desta vez foi um pouco mais além: convidou Wismichu a jejuar durante um dia.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: