“É Possível Criar Uma Empresa Por Menos De 100 Euros Por Mês”

“É Possível Criar Uma Empresa Por Menos De 100 Euros Por Mês”

Há 11 anos você era um empresário de sucesso no Brasil, será que Um dia eu me levantei, fui ao banco e me deu duas opções: a primeira, recuperar 20% do meu dinheiro e esquecer do resto; a segunda, me dar bônus a receber, em 10 anos, em troca de minhas economias. E qual foi a sua escolha?

Como você vê a situação atual de Portugal?

A primeira, e eu vim para Portugal. Sim, mas o melhor mestre de minha carreira foi passar um ano na Argentina durante o corralito. Aprendi tudo o que não se tem que fazer para evitar cometer erros e nunca mais voltei a confiar em um banco. Como você vê a situação atual de Portugal? Não creio que haja sempre um cercado, pois o sistema é totalmente diferente do argentino. É um país muito grande para deixá-lo cair.

E, quando chegou aqui, A raiz do corralito e a desvalorização do peso argentino, o Brasil começou a exportar de tudo, devia fazê-lo, já que não havia mercado interno. Então, eu pensei: “o que procuram as empresas argentinas nestes momentos? Um representante, alguém que lhes abra as portas dos mercados externos”.

  • Marina diz
  • o Reforço da rede de distribuição
  • Há 11 anos você era um empresário de sucesso na Argentina, mas o que quebrou seus sonhos
  • 4 Internet e novas tecnologias
  • Elaborar uma política de privacidade para nossa empresa
  • Certificação de Produtos
  • 1 Início do século xxi na Colômbia
  • 1972: 9.º no Torneio Metropolitano. Eliminado nas semifinais do Torneio Nacional

E é aquilo a que se dedicou. Houve pessoas na Argentina que fez muito dinheiro naquele momento, que assentou as bases para que, quando o país se recuperar, eles estavam muito bem posicionados. Você pode estar ocorrendo o mesmo em Portugal? Dentro de cinco anos, quando olharmos para trás, diremos: “2012 foi o ano ideal para empreender”. Nossa geração não vai voltar a ter uma oportunidade assim jamais. Por onde devemos começar a procurar?

Os empreendedores têm que encontrar nichos de mercado que passem despercebidos para as grandes empresas, mas que sejam suficientemente interessantes para gerar lucros, e há muitos. É uma solução real para o flagelo do desemprego? Que se crie o seu próprio trabalho parece ser o único caminho para resolver o problema do desemprego.

Um homem jovem, sem experiência ou uma mulher de 50 anos desempregada podem criar uma microempresa a um preço baixo. Há empresas que podem criar por menos de 100 euros por mês. Uma amiga minha usou uma modalidade que se chama dropshipping: criou uma página web através de uma ferramenta que se chama webbling, que vale 0 euros, e colocou à venda figuras de chumbo. Como e a quem possa interessar tal produto?

A colecionadores do Japão, que pagam com cartão de crédito, então, ela faz o pedido de um fabricante canadense, que envia a mercadoria diretamente para o cliente. Sim, o interessante é que o produto leva a sua marca, que está comercializando sem ter que alugar um local, contratar uma equipe de vendas ou adquirir acervos.

será que Essa é a solução para o elevado desemprego juvenil? Os jovens de hoje não têm um emprego, mas sim trabalho. Os mais atirados, os que realmente vão ter sucesso, são os que se vão lamentar, porque vão dizer “o que devemos ter feito”. Outro dia alguém me perguntou por que os chineses e eu lhe disse: “eles São um exemplo a seguir”. Não pelo fato de trabalhar como escravos, mas sim pela sua cultura do esforço”.

Hoje em dia ocupam os espaços que nós deixamos vazios. Você conhece algum caso de sucesso entre os empreendedores chineses? Eu diria que não, porque agora ele vive ao lado de Cristiano Ronaldo. Eu sei que um de seus sacos custa mais de 7.000 euros. Qual é a lição? Economize, arrisca e tenta; se falhar, não acontece nada, já que fracassar é mais barato do que antes. A era do emprego acabou e começa a do autotrabajo; quem não entenda assim, vai ter muito complicado.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: