Dez Passos Para Criar Uma Loja Online

Dez Passos Para Criar Uma Loja Online

Alguma vez você já quis montar uma loja online e não sabe como. Do Mercado Atual, o portal de comércio eletrônico especializado na comercialização de produtos e serviços através da internet, lançaram um decálogo de passos a seguir para se tornar um empreendedor online. Os responsáveis destacam que, além de buscar um nicho de mercado, escolher um domínio com o “gancho” ou a escolha de um bom parceiro de logística, é “básico” que o negócio está “bem administrado”.

2. Completar a papelada.

1. Encontrar um nicho de mercado. Vender pela Internet, mas É uma das decisões mais importantes a tomar. Para fazer isso você tem que realizar uma pesquisa prévia de cara a detectar nichos pouco cobertos ou com necessidades no mercado. A especialização, os fornecedores, a possibilidade de negociar boas margens e o conhecimento prévio do setor são outros factores a ter em conta. 2. Completar a papelada. 3. Escolher um bom domínio.

Que seja curto, fácil de lembrar, escrever e pronunciar e representativo da atividade. E, acima de tudo, que tenha o “gancho”, de tal forma que atue por si só como um elemento de promoção da atividade. O domínio será a sua marca. Têm também que ter em conta as possibilidades de indexação no Google e a capacidade para generare visitas a partir de pesquisas genéricas.

4. Criar uma página da web à sua medida. É suficiente para o negócio ir por via de uma página simples, com as opções básicas, ou se precisa de uma mais complexa que incorpore vários critérios de pesquisa, gestão atualizada de stocks, comparador de preços, etc? As opções são tão extensas como o orçamento disponíveis.

  • Se não pode fechar, saiba quando sair
  • Se conjuga perfeitamente com um negócio tradicional que quer captar mais clientes
  • Aumentar o desempenho do processo de recrutamento
  • 1 Crítica marxista à economia clássica
  • “Natsu no Hi” OFF COURSE (ep. 52)
  • O PowerBook 140, com um 68030 de 16 MHz

Seja qual for a opção escolhida, deve-se combinar um design atraente, facilidade de navegação e uma boa gestão de pedidos e estoque. 5. Investir em um bom gestor de stocks. Se há um dinheiro bem investido no comércio eletrônico é o que se gasta na gestão de stocks. No início o projeto pode ser modesto, e não há necessidade de começar com o maior catálogo do mercado, mas o que é básico, já desde o arranque é que esse catálogo, grande ou pequeno, seja bem gerido.

Precisa de parceiros que ajudem você a dar a andar.

6. Escolher um bom provedor logístico. Nenhum negócio online funciona de forma autônoma. Precisa de parceiros que ajudem você a dar a andar. Um dos principais, se imprescindível, na realidade, é o parceiro logístico. A maior parte das reclamações decorrentes do comércio eletrônico vêm provocadas por perdas, atrasos e outros problemas decorrentes do transporte. É essencial contar com um bom provedor logístico que faça uma gestão profissional e os envios, em coordenação com a loja online e cumprindo com os termos e compromissos pactuados com os clientes.

7. Resolver a questão dos pagamentos. Se o provedor logístico é fundamental para o bom andamento de seu negócio online, não o é menos o parceiro de meios de pagamento. É essencial estabelecer acordos com vários desses fornecedores, de forma que haja várias alternativas de pagamento seguro para seus clientes.

O usuário gosta de ter a capacidade de escolher como pagar as suas compras.

Paypal, cartão de crédito, transferência bancária. Não há que limitar-se a uma dessas opções, nem a mais barata. O usuário gosta de ter a capacidade de escolher como pagar as suas compras. 8. Montar um serviço de atendimento ao cliente. Certamente, nestes primeiros meses de actividade dedica-se muito esforço para a venda e pré-venda, já que serão o motor de renda. No entanto, seria um erro se concentrar apenas nesse aspecto e negligenciar o que acontece uma vez que foi feita a transação.

Por pequeno e rudimentar que seja, há que se ter previsto um canal que constem as queixas e problemas dos que já são clientes, porque de outro modo é muito fácil que deixe de sê-lo no futuro. 9. Fazer um acompanhamento dos clientes. Uma informação fundamental em todo o negócio de comércio eletrônico, é a forma como se comportam os usuários da web. Quando compram, quanto tempo demora em comprar, como chegam à página ou quanto gastam os dados são muito úteis que ajudarão a melhorar processos, corrigir erros, foco promoções etc. Ferramentas como o Google Analytics podem ajudar-nos a fazer esse acompanhamento. 10. Desenhar uma estratégia de venda e promoção. Qual será a marca diferenciadora? Apesar de todo o plano é susceptível de ser alterado e ajustado uma vez em marcha, há de dedicar uma pensada a essas questões antes de começar a atividade.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: