Dez Anos De ‘Masha E O Urso’, A Brincadeira Que Começou Em Uma Praia

Dez Anos De ‘Masha E O Urso’, A Brincadeira Que Começou Em Uma Praia

Uma menina que é um turbilhão, um urso que é o cúmulo da paciência e mil aventuras, contornando o desastre em uma floresta de conto. É a receita do sucesso de Masha e o Urso, do animador russo Oleg Kuzovkov, que se encontrou com ‘Masha’ nos anos 90. Estes desenhos animados russos que conquistaram o mundo cumprem 10 anos. Até que a produção da série não começou em 2008, a safada Masha dormiu em forma de esboços.

Queria dar vida a uma pequena que acha que o mundo é feito para ela, uma idéia que surgiu quando Oleg se encontrava de férias em uma praia do Mar Negro. A princípio, todos brincavam com ela e sorriu diante de seus trastadas, explica para O MUNDO o criador de Masha.

Emaranhados sem a violência de Tom e Jerry e com um profundo amor pela natureza.

Logo o povo começou a afastar-se e cada vez foi ficando menos pessoas na praia: a criação podia com todos. Hoje Masha é essa menina revoltosa feita desenho animado. Emaranhados sem a violência de Tom e Jerry e com um profundo amor pela natureza. É a fórmula do sucesso: é exibida em 100 países (incluindo Portugal, através do canal Clã) e foi traduzido para mais de 35 idiomas. É um verdadeiro fenômeno no YouTube, com milhões de visualizações, onde conseguiram ser a primeira animação em chegar ao quinto posto os vídeos mais vistos.

Oleg Kuzovkov trabalhou em Los Angeles, após a queda do bloco soviético e voltou em 2003 para promover a menina russa mais famosa do mundo. A animação é baseada em um conto tradicional russo de mesmo nome, mas que tinha uma trama completamente diferente. A ‘mãe’ de Masha é uma empresa. A menina foi lançado ao mundo em 2009 por Animaccord, uma produtora que criou um ano antes, especialmente para o projeto Masha e o Urso.

  • 3 Itens novos e bairro novo
  • “Quanto custa um tênis minimalistas?”
  • 2 Seus projetos
  • 2 Eventos ocorridos na cidade de Santiago de los Caballeros de Guatemala
  • Quanto dinheiro quiser gerar com ele
  • 2 Impacto económico
  • Não existem franquias sem risco

A criatividade da indústria de desenhos animados deste país sempre foi forte. Dimitry Loveyko, produtor de Masha e o Urso, acredita que a animação soviética conquistou telas de fora do país, porque “costura o melhor dos valores familiares e da ideologia soviética não entrava, porque não havia diálogos”.

Mas os personagens daqueles desenhos apenas foram conhecidos, além dos países do antigo bloco socialista. Em sentido contrário, o bloqueio era quase total: “Era um mundo fechado, não víamos o de fora”. A rússia é uma potência cultural em relação aos seus clássicos, mas seus relatos contemporâneos têm dificuldades para encontrar oco no Ocidente.

A exceção chegou com Masha e o Urso, talvez, o produto cultural russo de maior sucesso do momento. No início pensou-se em apresentar uma menina que vivia com seu avô, “mas um urso dava mais possibilidades”, explica o produtor. Os desenhos são feitos em uma antiga escola da era soviética ao norte de Moscou. Lá, mais de 70 animadores produzem cada um cerca de três segundos de programa diários.

Masha é um produto global, também na sua confecção. Em seu papel de pai da ideia, Kuzovkov ainda de passar parte do ano em Los Angeles, mas sem desistir. De fato, o trabalho de pré-produção da série, incluindo o roteiro é feito na Califórnia. A invenção não deixa de crescer, e Masha salta para outros spin-off da série, com novas histórias que nos contam como nossos medos podem ser engraçados. Ou, em relação ao recente Mundial de futebol, lembrando que o jogo limpo é importante ou que as meninas podem jogar futebol também. Masha até promove alimentação saudável e bons hábitos ao volante. E serve para vender brinquedos e entretenimento ao vivo: em novembro, o show de Masha e o Urso virá a Portugal com a atuação Resgate no circo. Depois de dez anos vibra, a criança já tem idade para visitar outros florestas.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: