Ciúme Que ‘matam’ Relações

Ciúme Que ‘matam’ Relações

Todos, em alguma ocasião pontual sentimos ciúmes, bem sentimentais, profissionais ou mesmo de amizade. Trata-Se de uma reação a uma ameaça de perda, seja ou não real. Há ciúmes fundados e outros totalmente errados. No entanto, este tipo de comportamentos são considerados normal, sempre e quando sejam isso, pontuais, que não constituem o centro da vida. Caso contrário, estaríamos falando de ciúmes patológicos.

“O ciumento perde o controle do comportamento e gasta tempo e energia em investigar e monitorar a outra pessoa, impedindo que leve uma vida normal. Custa-lhe para se concentrar em outras coisas e continuamente se imagine que seu parceiro está com outro. É verdade que existem vários tipos de ciúmes, além dos sentimentais. Por exemplo, os profissionais, ou mesmo, os infantis.

  • Publicidade Online
  • por Trás das câmeras, assim foi gravar o vídeo teaser
  • Como criar conteúdo e tipos de conteúdos
  • 3 Nascimento de Portugal
  • 6 Wii (2006-2016)
  • DeviantArt: A maior comunidade de criativos a nível global
  • Não tive nenhuma resposta da empresa (668 menções)
  • Clique publicações com hashtags relevantes

Mas, sem dúvida, são os ciúmes de casal os mais destrutivos. Podem chegar a ser insuportáveis e arruinar a vida do ciumento e de seu parceiro. “Os ciúmes patológicos corroem-se de forma progressiva a vida em casal e interferem gravemente na vida cotidiana”, acrescenta Alice Lopes de Fez, Fundadora e Diretora do Centro de Psicologia López de Fez em Valência. Também geram um grande sofrimento na pessoa ciumenta, que se mostra firme convicção de que a infidelidade de seu parceiro e organiza a sua vida diária em função desse medo.

os sentimentos de ciúme além disso, existe um componente que tem a ver com a nossa auto-estima e segurança, como pessoas. No caso do casal, também como amantes. Para Olga Castanyer, psicóloga clínica, especializada em assertividade e auto-estima, autora de vários livros sobre a temática, como Sem ti não sou nada, os ciúmes são uma forma de dependência emocional.

ou seja, eu preciso que você me faça sentir única, que só me quer a mim, para poder sentir que valho a pena. Ter ciúmes é normal, a pessoa que quer ser única e dói não ser para o outro. O problema vem quando se tornam a única forma de obter auto-estima. Isto é, quando a pessoa não conhece outra maneira de sentir que vale a pena se você não é sentir que vale para o outro. No entanto, não necessariamente os ciúmes nascem da auto-estima, diz Martínez Selva, às vezes, a insegurança é a consequência deles.

Relacionar amor e ciúme é um verdadeiro erro. Ter ciúme não significa amar a ninguém. Para o psicólogo e escritor José Enrique Vázquez, os ciúmes estão relacionados com a aprendizagem que se faz na infância e na adolescência em relação aos valores de tolerância, o respeito e o reconhecimento dos direitos do outro.

Por isso, é muito importante conhecer e derrubar a partir de idades muito precoces todos os mitos que existem sobre isso. Alguns mitos que ainda condicionam de alguma forma o significado de amar e de amor são: ‘É inveja porque lhe quer bem’ ou ‘quando se quer alguém, é normal ter ciúmes’. Outro mito muito difundido é aquele que diz que os ciúmes se resolvem com o tempo. Nada disso. “Em momentos de crise, o tempo pode ser um elemento distanciador, além de potencializar o problema”, comenta o escritor. Conceitos como o meu namorado e eu só posso atraí-lo eu ou o amor tudo pode errados.

Muitos casais se referir a este mito para tentar enfrentar um problema de ciúmes sem ajuda externa. No entanto, “se você tem um problema de ciúmes, o melhor é resolvê-lo, e não deixar a solução nas mãos do amor”, mantém Vázquez. Antes de começar a colocar a solução para o problema, devemos saber se realmente existe. É dizer, como detectar um problema de ciúmes?

Joana

Os comentários estão fechados.
error: