Barcelona Estuda Regular Com Licenças Dos Serviços De Moto E Bicicleta Compartilhadas

Barcelona Estuda Regular Com Licenças Dos Serviços De Moto E Bicicleta Compartilhadas

A política municipal é a mais direta de todas. É a que permite ver, viver e sentir cada uma de suas decisões, para o bem e para o mal. Mas também é a que mais e melhor reflete as dúvidas e os adiamentos que naufragan entre a burocracia e os frágeis acordos entre grupos municipais. Um bom exemplo disso são os sistemas de mobilidade compartilhada ou por minutos que usam a via pública para operar. A câmara Municipal de Barcelona informou que há um ano que tinha a intenção de meter a mão no assunto.

O disse ao apresentar a alteração da portaria de circulação, o que permitiu incluir (uma norma pioneira em Portugal) a regulamentação dos veículos de mobilidade pessoal, trotinetas eléctricas e outros aparelhos. Nestes 12 meses (um mundo para a tecnologia) têm crescido as frotas, chegaram novas empresas e outras estão prestes a fazê-lo. De momento, sem regulamentação específica, e com o campo livre.

  • 1 História 1.1 China
  • 1 Presidência e renúncia de Cámpora
  • 6# Adiciona descrições das fotos
  • Gestão de objeções

A coisa pública deshoja a margarida entre duas opções: ou um sistema de licenças ou uma alteração da referida portaria. As iniciativas privadas que utilizam a rua como parte de seu plano de negócio e para realizar o resgate de clientes são um desafio pendente para o consistório. É o caso das motos e as bicicletas, cujos usuários usam o aplicativo móvel para localizarlas em um mapa e iniciar assim um percurso após o qual voltam a deixar a máquina em qualquer lugar perto do seu destino. Muitos, especialmente turistas, estacionam em locais proibidos, mas esse é outro assunto.

O consistório ordinário público realizado no ano passado um diagnóstico da situação “com a vontade de estabelecer algum tipo de ordenação sobre estes serviços que tornem compatível com a mobilidade sem penalizar o uso e os elementos da via pública”. A partir daí, dizem fontes municipais, abrem-se basicamente de um par de vias: “Regulação por meio do licenciamento (o que poderia reduzir drasticamente a oferta existente ou não permitir que cresça mais) ou uma alteração da portaria”. O primeiro pode ser executado com certa agilidade.

O segundo é muito mais complicado, já que requer, de acordo político, complicado, a menos de um ano para as eleições. Isso, sem dúvida, que se vão aproveitando das ‘apps’, que vem em Barcelona com um delicioso doce para ampliar o mercado. O próprio governo de Ada Colau cita dois exemplos como possíveis saídas.

Por um lado, Manchester, que optou por licenças, e por outro, Amsterdam, que proibiu estes serviços à espera de encomendar o seu funcionamento. Tudo o que existe pode juntar-se em breve o patinete elétrico. Em Valência, está a ponto de entrar em funcionamento a primeira empresa de patinete compartilhado de toda a Europa.

A impulsionam dois empreendedores que se inspiraram em empresas similares que já funcionam nos Estados Unidos (Bird, LimeBike ou Spin), sobretudo na costa leste do país. A invenção português se chama Bbuho e pretende iniciar a sua actividade neste domingo em Valência, com a intenção de desembarcar em breve em Madrid e Barcelona.

Ao contrário do paradigma americano, não deixarão os trotinetas pelas ruas, como fazem as empresas de moto compartilhada. Javier Costa, co-fundador da Bbuho. Por isso têm previsto a instalação das unidades no interior de hotéis, para mais tarde, se vão arranhando financiamento, implantar um sistema de franquias em locais espalhados pela cidade. Se tudo correr conforme previsto, terão de 500 trotinetas eléctricas em Barcelona antes de terminar o ano. Se Bbuho chegará antes que a regulação municipal, é um mistério. A câmara municipal resume: “Se estão finalizando os relatórios técnicos e jurídicos para determinar qual o caminho a se tomar para regulá-los”. O setor privado, enquanto, para o que era seu.

Lime, uma ‘startup’ dedicada ao alquier de bicicletas e trotinetas eléctricas, fechou uma rodada de financiamento de 285 milhões de euros a que o gigante Uber foi unido como um “sócio estratégico” depois de fazer um investimento “considerável”. No momento, esta empresa é conhecida por seu serviço de aluguel de carro com motorista -e por suas pugna pelo táxi em várias cidades espanholas, mas não tinha dado o passo para os veículos de mobilidade pessoal. Estes trotinetas e outras fofocas elétricos são integrados na aplicação de Uber, de forma, tal como apontam fontes de Lime, que cada vez seja mais fácil viver sem carro.

Se o subcontratado, a partir do seguinte link você tem 20% de desconto com o cupom “gracias20”. Qualquer dúvida pode me escrever a partir do formulário de contato. No vídeo abaixo você verá como se contrata a hospedagem e domínio com Raiola Networks. Qualquer dúvida, já sabe, eu menciona. Se quiser saber a minha opinião e as opiniões de outros profissionais do setor de Raiola Networks, léete o post opiniões de Raiola Networks. Uma vez concluído o processo de contratação de hospedagem e domínio (o domínio pode demorar algumas horas até que esteja ativo), é o momento de instalar o WordPress em nossa hospedagem de uma maneira muito simples.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: