As Novas Tecnologias São Aliarán

As Novas Tecnologias São Aliarán

�Que há de tão diferente casamento de William e Catherine Middleton de outras núpcias reais? A comercialização de casamento dá uma clara idéia de como os noivos reais e os organizadores do palácio têm se esforçado para que assim seja. Pela primeira vez na história monárquica da Grã-Bretanha, a música nupcial tocada ao vivo durante a cerimônia religiosa será gravada e pôr à venda, quase de forma imediata, em formato físico e digital. As novas tecnologias são aliarán.

Também se distinguirá de outros casamentos reais no aspecto económico. A participação da família da noiva, para as despesas de casamento é algo pouco comum neste tipo de categorias ocultas: em que a Casa Real costuma correr com quase todos os custos. Governo e outros corpos pagarão os custos decorrentes dela”.

Além disso, a lista de convidados, que inclui, sem tetos, trabalhadores de organizações de caridade, ex-combatentes no Afeganistão, celebridades e membros da realeza, que marca de forma especial o grande dia do príncipe William e Catherine Middleton. Não será um evento de Estado, por se tratar do link do herdeiro do herdeiro, mas tampouco os noivos reais queria que o seja.

  • Prestashop. Criar lojas online
  • Presidente executivo da Caja Costarricense de Seguro Social (admin. Rodríguez Echeverría)
  • Como configurar os usuários no WordPress
  • 4 Ensino superior

Seria como ir às cegas. O uso de ferramentas de escuta e monitoramento (não é mesmo), é relativamente estendido entre as médias e grandes empresas que apostam nas redes sociais. Seus usos mais comuns são a gestão de crises de reputação e o estudo do sentimento para a marca (n atributos que se queiram considerar: marca, produto, preço, concorrência,…). Mas se orientamos a configuração dessas ferramentas para a venda (a monitorizar keywords relacionadas com vendas e/ou atendimento ao cliente que se refiram a nossa marca e/ou produtos), podemos usá-las para fazer venda direta e atendimento ao cliente proativa.

E para o final a parte mais difícil, mas o que mudaria definitivamente a forma de agir das empresas (dentro e fora das redes sociais). O que aconteceria se em lugar de agir com base em fatos passados, tentamos adiantar nada sobre o que ‘provavelmente’ faça o usuário? O conceito é relativamente fácil de entender, estudamos o comportamento dos usuários e tentamos prever sua próxima ação em função das anteriores. Bem por estas nos dão ‘pistas’ concretas, ou bem porque, estatisticamente, após a ação 1 costuma ocorrer a ação 2. De fato é algo que levamos tempo tentando fazer em outros domínios.

Mas, obviamente, levá-lo a cabo é outra coisa e ainda mais quando falamos de redes sociais. Requer um estudo profundo de grandes volumes de dados (Big Data Analytics) e algoritmos de tomada de decisões automatizados que ‘aprender’ com base nessas análises (Inteligência artificial). Em Big Data Analytics, estamos dando os primeiros passos, mas a inteligência artificial está em fraldas ainda. Assim, muito antes de ver ferramentas que fazem ambas as coisas de uma forma perfeita. Imagine que nós somos capazes de fazê-lo corretamente para ler o artigo com um exemplo. Espero que possamos nos ver em breve. Acho que mudaria a forma de fazer as coisas radicalmente.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: