Aprendem A Fazer Negócios E Levam Seus Filhos Para A Aula

Aprendem A Fazer Negócios E Levam Seus Filhos Para A Aula

Embora possa parecer, não se trata de uma creche. O objetivo é mais ambicioso. É uma classe onde pais e mães recorrem com seus filhos pequenos para aprender a ser empreendedores. Assim, de original é “Campus for moms”. As aulas, que são gratuitas, são ministradas em seis sessões de três horas cada uma. Neste curso, as crianças não são um impedimento. “O ambiente é projetado para eles e os professores estão preocupados de que os pequenos estarão correndo em volta enquanto eles fazem a sua exposição. É um pouco como estar em casa”, observa Isabel Salazar, responsável de marketing de produto do Google Portugal e um dos discos do campus em Madrid.

Acrescenta que é precisamente a maternidade “um daqueles momentos em que as pessoas repensam a sua vida, sua carreira profissional e não há nenhum motivo para renunciar a fazê-lo junto a seu filho. É uma pena que muitas mães —e também os pais— eles se sintam descolgadas do mundo pelo fato de ter querido ter filhos. Se tornar pais é um plus para enfrentar muitos desafios e, sem dúvida, um deles é empreender.

Nós estamos provando que é possível”. Esta iniciativa é uma idéia de Tal Sarig-Avraham, gerente de marketing de produto do Google em Israel. Enquanto desfrutava de sua baixa de maternidade chegou à conclusão de que, por não ter filhos, tinha que ficar longe do resto do mundo. Se pôs mãos à obra e promoveu o primeiro “Campus for Moms”, uma escola de “baby-friendly”, dirigido a mães, pais e empresários em que os participantes recebem formação e acompanhamento para iniciar o seu próprio negócio de forma totalmente gratuita.

O que foi um projeto hoje cumpre a sua terceira edição no Google Tel Aviv e já tem réplicas em outras cidades, como Londres. Em Madrid, começou a primeira edição em junho e fnalizará no final de julho. A dificuldade se deu a conhecer a convocação “e tivemos mais de cem pedidos”, diz María Álvarez, co-fundadora de Ephimera, agência que promove a iniciativa com a Google Portugal. Raquel sabe perfeitamente que poderia estar na sua casa com o seu bebê.

“no entanto, eu comecei o curso grávida e, na semana passada, dei à luz. Como o programa é ministrado uma vez por semana, estou de volta com a minha menina de cinco dias e não me perdi nenhuma sessão”, explica. Foi montado juntamente com a sua irmã Trucaps, uma loja online de sapatos de operação.

“a Minha irmã é anestesista e em seu hospital se apontavam para uma lista com muitos cirurgiões para fazer um pedido de chapéus, que traziam dos EUA eu gosto muito de costura, e pensamos que nós podemos fazer produtos personalizados com telas espanholas e de maior qualidade”. Para ela, a gravidez, e agora a maternidade, não foram uma perda de tempo.

  • 2 500 000 3 500 000 de poloneses não-judeus,
  • 1 Herói popular
  • 31 minutos (2003)
  • Bogotá: Panamericana editora, o ano de 1986? 180p
  • Tentar neutralizar a vantagem competitiva da concorrência
  • 9 Reviravolta na argumentação britânica
  • 1957: 4.º no Campeonato Profissional

“Além de cuidar de meu precioso bebê posso seguir formándome e ampliando minha rede de contatos com outros alunos do curso”. Asier tem o prazer de ir para a aula com mães e crianças, embora reconheça que você gostaria de ver mais pais “e não ser o único homem em curso”. Considera-se que “em nosso país, infelizmente, faltam muitas medidas de apoio à maternidade.

Espero que tomem nota deste curso outras organizações e se ponham em marcha muitos mais programas que facilitem às pessoas a ter filhos sem renunciar à sua formação ou crescer em sua carreira profissional”. Asier conta com um portal de entretenimento. Assegura que, neste curso pude saber o que fazia mal em redes e reforçar aquilo que eu faço bem o meu negócio”.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: