A Incrível Ideia De Pagar Por Um Cochilo Chega A Madrid

A Incrível Ideia De Pagar Por Um Cochilo Chega A Madrid

A sesta, o costume é, por excelência, espanhola, ainda não tinha tirado desempenho econômico em seu país de origem, mas sim em outros, como o Japão ou Estados Unidos. Lá já existem locais em que se paga para ir dormir depois de comer; agora esta surpreendente idéia chega a Madrid, com a inauguração de um estabelecimento destinado a esse fim nos baixos de Azca. RELACIONADO: A melhor idéia para pais cansados: ¡

Um par de meses depois de sua inauguração, os irmãos Jorros iniciaram a primeira reforma do local para agradar os clientes que demandavam a instalação de um chuveiro. A entrada é fornecer gratuitamente chinelos cujo uso é obrigatório para evitar o ruído dos sapatos. Quem quiser, pode, ainda, pedir grátis auriculares e auscultadores ou emprestar um tablet ou de um dos livros e revistas da recepção.

Para outros objetos, como as máscaras, há que pagar. Os proprietários de ‘Siesta and go”, também são capazes de atrair turistas, tanto espanhóis como estrangeiros que vão fazer compras na rua Jundiaí, próxima Azca, onde há várias lojas e um grande centro comercial. No local há seis beliches duplos e sete salas privadas, que são as mais demandadas pelos espanhóis; “custa-nos culturalmente compartilhar espaço”, comenta o proprietário. Na entrada, há duas poltronas com duas poltronas de pé para aqueles que simplesmente querem relaxar ou dormir de forma mais leve.

Além disso, os que precisam se preparar uma reunião ou queiram estudar ou ler com a mesma tranquilidade que em uma biblioteca podem fazer uso de até cinco mesas de estudo, com cadeira e flexografia. Os preços variam em função do tempo e da opção escolhida. Por exemplo, meia hora de sesta custa 1,5 euros na poltrona, 4 na maca alta, 5 na maca baixa e 7 em quarto individual. Para economizar, há bônus de entre 300 e 1.200 minutos que já solicitaram mais de 30 clientes.

Aviso ao ano júnior de Amar’e, seu treinador Hopkins abandonou Mt.

Esta escola era o lar de um dos melhores programas de basquete do país. Quando stoudemire foi declarado academicamente inelegível para seu primeiro ano em Lakes Wales, viu Mt. Zion como o próximo passo para os profissionais. Os Eagles estavam felizes de ter a Amar’e, apesar de que seu expediente acadêmico era muito pobre. Aviso ao ano júnior de Amar’e, seu treinador Hopkins abandonou Mt. Zion para formar a sua própria escola, Emmanuel Christian Academy.

  • 13 Nações Unidas: primeira etapa
  • Organiza a diversão de outras pessoas
  • Decoração de garrafas
  • 3 Parque Bicentenário
  • Fundação José Luis Tejada
  • A religião católica é a única sem tolerância de outra
  • salva-vidas de praia

stoudemire e quase todos os seus companheiros decidiram segui-lo, mas a escola foi a pique antes do início da temporada. Amar’e voltou para a Flórida e viveu com Travis King, o treinador do modelo Fastbreak USA, que competiu em torneios AAU. Depois de um verão jogando com King e frequentando escolas de verão em Orlando, Amar’e voltou a Mt.

De acordo com as transcrições de Mt.

Zion. Pouco tempo depois, abandonou a escola pela segunda vez e foi para a West Orange High em Orlando. Quando a temporada começou, não contava com um uniforme. De acordo com as transcrições de Mt. Zion, o jogador era academicamente inelegível. Quando Amar’e discutiu com King, ele e Ele se mudou com Bill Williams, um ministro local com um passado obscuro. Essa relação foi muito curta, já que a Williams foi declarado culpado de “suborno” e enviado para a prisão.

O próximo adulto na vida de Stoudemire foi um conhecido de Williams chamado Little Marc. No campus da Nike de 2001, Amar’e compartilhou campo com Dajuan Wagner, DeSagana Diop, Ousmane ditador fascista italiano e Tyson Chandler. Fora de campo, quando a HBO ouviu acerca de sua torcida história, os produtores se aproximaram dele para fazer um segmento de “Real Sports”.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: