A Importância De Criar Filhos Com Espírito Empreendedor

A Importância De Criar Filhos Com Espírito Empreendedor

Há um ditado popular que diz que “o que se herda não rouba”. Por isso, um menino que cresce em um lar onde os pais se destacam por seu caráter empreendedor, tem mais oportunidades de ser um espírito que ame a independência em todos os seus âmbitos, incluindo o profissional e econômico.

Assim afirma Marcelo Berenstein (emprendedoresnews), para quem o assunto para os pais estaria em “como criar filhos com os valores suficientes para ser empreendedor e empresário seja uma possibilidade real e preciosa.” Em sua opinião, existem vários conselhos a ter em conta se queremos que nossos filhos não se tornem “escravos adiantados a frágil segurança de um salário”. O primeiro é “assumir que incentivar os meninos a gerar receitas próprias com negócios pequenos, como rifas, venda de doces na escola, da família ou vizinhos, é importante, mas não suficiente”.

Isto pode ser conseguido fazendo-lhes perguntas constantes para promover um intelecto inquieto.

Há outros aspectos, tanto ou mais importantes, que podem ajudar o desenvolvimento das capacidades empreendedoras das crianças. Para Arthur Blank, co-fundador da Home Depot Inc., os pais incentivam seus filhos quando os incitam a explorar seu ambiente e não deixar que se formem demais. Isto pode ser conseguido fazendo-lhes perguntas constantes para promover um intelecto inquieto. Blank acrescenta: “cómpreles os brinquedos adequados, com os que as crianças devem descobrir por si mesmos o que devem fazer”. E quando vão de férias, “experimente diferentes restaurantes fora do tipo de comida a que estão acostumados”.

Para o professor do Babson College, especializada em empreendimentos familiares, Pramodita Sharma, adiciona duas qualidades importantes que os pais devem incentivar seus filhos: ser escrupulosos e emocionalmente estáveis. Para isso, devem insistir em que os filhos completem tarefas de alta qualidade dentro dos prazos prometidos, sejam deveres, atividades extracurriculares ou trabalhos na casa. E os pais, por sua vez, ser exemplo, demonstrando controle quando as emoções transbordam.

Os pais devem ajudar seus filhos a reconhecer que o seu mundo está cheio de oportunidades de negócio e que identificá-las só exige observação atenta e criatividade. Para Christine Poorman, diretora-executiva do Network for Teaching Entrepreneurship, é importante incentivar os alunos a passearem por seus bairros e avaliar as suas necessidades de negócio. E pôs como exemplo a uma aluna que concluiu que os armazéns e lojas de ferragens de seu bairro não tinham suficiente presença on-line, assim que lhes criou logotipos e sites.

Para o empreendedor imobiliário Sam Zell, um empreendedor”sempre vê problemas e depois as soluções”. “Quando eu tinha 12 anos, meus pais se mudaram de Chicago a um subúrbio”, lembra Zell. “A Cada dia eu ia à cidade de trem, depois da escola para ir para as minhas aulas de religião judaica. Dei-Me conta que debaixo das vias elevadas do trem vendiam revistas Playboy. 3. Foi a minha primeira lição sobre a oferta e a demanda”. Os esportes podem ser uma super sala de aula para losvalores de empreendedores.

Para Blank, Home Depot, “os esportes ensinam o quão importante é o trabalho em equipe. A semente para a idéia de Home Depot saiu de mim e de Bernie (Marcus), mas também precisamos que outras pessoas acreditassem no projeto para entrar no jogo”. Mas também os esportes solitários podem ser fonte de ensinamento e inspiração. Jim Koch, fundador da cervejaria, Boston Beer Co., acredita que sua paixão pelo montanhismo foi um pilar em sua carreira de negócios.

“Os alpinistas se parecem muito com os empresários. Estão dispostos a correr um risco e, uma vez lá, eles se tornam cuidadosos e tentam reduzir o perigo”, diz Koch. Talvez, o ponto mais importante. Dar o exemplo pessoal é o mais valioso que podemos ensinar aos nossos filhos sobre empreendedorismo.

  1. Quartos de higiene e descanso dominical
  2. Verificar que não tenha sido registrada uma marca igual ou semelhante
  3. Escolha as modalidades de pagamento
  4. pode Chegar acima dos resultados de pesquisa
  5. 2 Muito Mal Enfocado o Artigo
  6. O teste de Pablo Alborán: curso nos Estados Unidos e mais tempo para a família
  7. Disciplina, trabalho duro e paciência
  8. 18 novembro de 2013

Arthur Blank reconhece a influência positiva de seus pais: “eu Cresci com exemplos de carne e osso de empreendedores”, lembra. “Meu pai tinha 39 anos quando começou um negócio de farmácias atacadista. Morreu aos 44, quando eu tinha 15 anos. Minha mãe, que tinha então 37, não tinha experiência de negócios, mas assumia riscos à sua maneira. Expandiu a empresa e depois a vendeu a uma empresa maior.”

Certamente não são os únicos pontos a considerar, e ainda colocando-os em prática, nem a certeza de que nossos filhos sejam pessoas que anseiem levar as rédeas de seu destino em suas próprias mãos. “Mas é um risco que vale a pena correr. E sabemos que empreender implica também é assumir riscos”, conclui Berenstein.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: