A Conta Que Mostra O Ridículo Que Chegamos A Fazer Por Fazer-Nos Uma Foto

A Conta Que Mostra O Ridículo Que Chegamos A Fazer Por Fazer-Nos Uma Foto

são Poucos os que, hoje, não podem resistir à tentação de fazer uma foto e enviá-la para o Instagram. Seja um selfie ou uma fotografia com um fundo espetacular, todos querem se orgulhar de imagens bonitas em nossas redes sociais. Há pessoas que chegam a fazer o que quer que seja para conseguir essa imagem perfeita, chegando a ser ridículos para quem os vê de fora.

A conta Boyfriends of Instagram coletar alguns desses momentos para que possamos ver o que somos capazes de fazer por uma boa foto. Esta conta de Instagram, que acumula 164.000 seguidores, é com um vivo reflexo de como nos vemos quando estamos concentrados em fazer um selfie ou uma foto que aspira a obter o máximo de likes possíveis.

Há casos de todos os tipos. Desde que as pessoas sozinhas que posam diante de uma vara selfie como se de uma fotografia se tratasse até pessoas que se tira o chão e adota as posições mais improváveis para conseguir fazer uma foto perfeita. E é que não seria a primeira vez que alguém é ferido (e até mesmo perder a vida) por ser uma foto sofisticado (para bbc) em algum lugar perigoso. E essa conta de Instagram nos pretende lembrar o estúpido que podemos vir a ser obter uma fotografia perfeita. Para nos que pensemos duas vezes antes de fazer algo de que nos possamos arrepender!

  • Promove uma boa relação
  • Ponderação de risco-transição
  • David 29/10/2014 Olá Maï e companhia,
  • “BEAT” 2
  • Leo Menindez (discussão) 03:59 6 de maio 2017 (UTC)
  • Gerar tráfego online
  • A ANÁLISE de Uma série interminável

Pouco antes de partir, na Vila Maria, escreveu o poema que se transcreve no quadro da direita, em que apela para a sua força de vontade para vencer o destino. Um de seus primeiros amigos. Ela o conheceu quando ambos tinham dois ou três anos. Ernesto recém chegava a Alta Gracia. Calica era filho de um rico médico especialista em doenças respiratórias que vivia em Alta Gracia.

Um de seus pacientes era o próprio Ernesto. Alberto Granado. Irmão mais velho de Tomás Granado, este último companheiro de aula do colégio secundário de Ernesto, e também amigo. Ambos eram filhos de um trabalhador ferroviário. Era seis anos mais velho que Ernesto, estudante de Bioquímica e treinador do time de rugby do clube Alunos no que Ernesto anos.

Partilham o gosto pelas mulheres, o rugby, o vinho, a literatura e viagens. Teve grande influência na escolha por Ernesto da carreira de medicina. Alberto Granado e Ernesto realizaram a primeira viagem latino-americano (1952), que reflete o filme Diários de motocicleta, onde seu personagem é interpretado pelo ator Rodrigo de la Serna.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: