Villa Eguzki Jaia

Villa Eguzki Jaia

A vila Eguzki Jaia ou Apikale localiza-se no bairro Urtza do município de Ea (província de Biscaia, Espanha), em um ambiente rural, de espaços naturais junto ao mar Cantábrico. A moradia ocupa uma posição relativamente central dentro de um terreno predominantemente plana, situando-se em uma área alta e cercar-se de um jardim.

Em sua face sul, há um magnólia, um tejo, duas cerejeiras e limoeiros. A parcela cai para o leste, onde se avista o mar sem filtro algum, e para o norte e o oeste com maiores desníveis. No lado norte do jardim existe um mirante de fábrica que forma um assento semielíptico.

  • Telhado da Igreja de São Francisco de Bogotá, Colômbia
  • 8 Uma excursão à floresta
  • 2 Salão de Haste
  • O Miguelete
  • Theodore Brailey, pianista, de 24 anos

No acesso à vila, no sul, há um sistema de fecho de madeira que é a porta de acesso para a fazenda e uma singular casota vertical com ornamentos triangulares. Tanto a porta-valla como a casota respondem ambiental ao projeto do edifício principal. Há um imóvel na área sul da parcela a origem da casa, mas não existem divisões físicas do terreno.

Eguzki Jaia ou Apikale é composto de cave, duas alturas e bajocubierta. Caracteriza-Se por sua planta irregular, interior de múltiplas abas de forte pendente com telha plana e, pelo domínio das formas verticais, com numerosos corpos coroados por rodas dentadas. É muito característico do edifício o tratamento conjunto de toda a sua parte superior e, mais especificamente, dos pinhões. A fachada sul de acesso mostra uma distribuição simétrica com três corpos.

Os laterais são coroados por amplos pinhões inclinados com uma janela vertical e no corpo central ficar um pequeno pórtico de entrada. Cada corpo possui um eixo vertical de vãos. O pórtico de acesso situa-se centrado na fachada e um murete curvado apresenta marca da porta de entrada. O pórtico tem telhas e vãos com ferraria.

A fachada este apresenta assimetria e é composto de três corpos diferentes. O central avança em relação aos outros e é coroado por um pinhão semelhante aos anteriores. Sobre o corpo lateral direito existe outra roda dentada em forma de mansarda. Esta fachada conta com maior número de vãos, sempre ordenados, e um grande terraço à altura da planta principal, que serve de tampa do subsolo, que pode ser acessado através de um arco rebaixado.

Na fachada norte acentua o ângulo nordeste, há dois trechos e três rodas dentadas, sendo o pinhão central uma pequena mansarda. O terraço continua com um acrescentado ao original. A fachada oeste é a mais austera, é simétrica, composta de três corpos cegos e é a única que não apresenta varandas. O corpo central saliente em relação à fachada, é coroado por um pinhão sem janela, e revela a localização das casas de banho e tem finas janelas laterais. As fachadas apresentam vãos verticais com portas venezianas de madeira na cor vermelha e revestimentos com rehundidos a modo de vãos fictícios. Existem balcões de concreto alheios ao projeto do imóvel.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: