Teatro Coliseu Espanha (Sevilha)

Teatro Coliseu Espanha (Sevilha)

O edifício Coliseu de Sevilha, também conhecido como teatro Coliseu Espanha, ergue-se no número 38 da rua da Constituição, no seu canto com a rua Adolfo Rodríguez Júri. O edifício foi projetado em origem como cinematógrafo, no ano de 1924 pelos irmãos José e Aurélio Gomez Millán, sobre o solar do antigo convento de Santo Tomás. De rotunda volumetria, o edifício desenvolve seu programa funcional em quatro pisos, incluindo cave, com seus principais acessos através de duas fachadas principais, sob duas grandes varandas e mirantes que se abrem a elas.

O edifício foi substancialmente comodidades para uma entidade bancária entre os anos de 1975 e 1979, os arquitetos José Maria Chapa e Galindo e Fernando Gómez Estern. Para isso se esvaziou completamente o seu interior, deixando apenas as fachadas, que hoje conservam seu estado original. O Commons possui uma categoria multimídias sobre Teatro Coliseu Portugal. Bancos de dados do património Imóvel da Andaluzia. Instituto Andaluz do Patrimônio Histórico. O conteúdo deste artigo incorpora material de uma entrada da espanha é publicada em espanhol baixo a licença Creative Commons Compartilhar-Igual.

Além disso, foi distinguida pela União Europeia com prêmios como o European Green Leaf 2015, por seu compromisso com o meio ambiente. No ano seguinte, Vis Florides (uma iniciativa que põe em valor a protecção dos espaços verdes das cidades catalãs) distinguiu a Mollet com 4 flores de honra, a mais alta distinção.

Também foi reconhecida como Cidade Europeia do Desporto durante a 2017, graças às suas políticas voltadas para o esporte (feira L’esport ao carrer é uma amostra). Anualmente, em Mollet realizam-se diversos eventos de carácter local, como a feira Mollet é fira ou Mostra Internacional de Titelles de Mollet, entre outros.

O salmonete (moll, em catalão) é um sinal de auto-falante tradicional. Os quatro naipes lembram-se da jurisdição barcelona-real sobre a população. Foi aprovada a 8 de agosto de 1990, e publicado no DOGC número 1338 3 de setembro do mesmo ano. O hino da cidade foi aprovado pelo Plenário da Corporação 11 de setembro de 1994. A letra é o fragmento do poema Hino a Mollet de Joan Ambròs i Lloreda, musicado por Vicenç Coromines i Pi. Mollet mereix bé nostre amor. Mollet merece o nosso amor.

  1. Projecto de ampliação do Cemitério da Recoleta
  2. O lago e a barca
  3. 9 – Parador de Lerma (Burgos)
  4. 6 Arco falso
  5. Composição para um altar moderno
  6. 1 Pintura 1.1 Tipos de decoração pictórica
  7. Auditório Luis A. Calvo, da Universidade Industrial de Santander
  8. 2 Características do templo dórico 3.2.1 Elementos peculiares

Barri dels Col·legis, o Nous. Bairro de l’Estació del Nord. Bairro de l’Estació de França. Bairro de Santa Rosa. Bairro de Plano Terra. Bairro da Can Borrell. Bairro da Can Pantiquet. Bairro da Ribeira Seca. O dinheiro da Caixa. Polígon Industrial de Can Prat. Polígon Industrial da Farinera.

Polígon Industrial de Can Magarola. Área de Tir Olímpic. 2002 Equipe de arquitetos Serra-Vives-Cartagena. Miquel Rosé, empreiteiro de obra. A antiga Sala de Plenos expõe um quadro de grandes dimensões de Joan Grupo. Ao redor da Praça do Prat de la Riba há dois edifícios históricos com janelas esculpidas. Desde 2003, é a sede do Síndico de Queixas.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: