Resumo E Golos Do Bélgica

Resumo E Golos Do Bélgica

Bélgica, eterna aspirante nas últimas grandes encontros do planeta futebol a nível de seleções, fez os deveres, em sua estréia mundial na Rússia apuntándose uma entusiasmante vitória diante do Panamá, com gols de Lukaku (2) e Mertens. Hazard e De Bruyne também brilharam na vitória belga diante de uma combativa seleção panamenha que manteve a taxa no primeiro ato do choque, mas se desfez, como um torrão de açúcar após o intervalo.

Courtois; Meunier, Alderweireld, Boyata, Vertonghen, Carrasco (Dembelé, 74′); Durante (Chadli, 90′), De Bruyne; Mertens (Thorgan Hazard, 83′), Eden Hazard; Lukaku. 1-0 M. 47 Mertens. 2-0 M. 68 Lukaku. 3-0 M. 75 Lukaku. Olímpico de Sochi. 43.257 espectadores. Antes as ausências por lesão de Vermaelen e Kompany, ‘Bob’ Martínez confiou o eixo de trás belga ao central do Celtic de Glasgow, Dedryck Boyata. Pouco importou essa circunstância, já que na inicialização do Panamá, nem sequer merodeó da baliza de Courtois. Os ‘Diabos Vermelhos’ não deu pé a acontecer, com Meunier e Carrasco chegando até muito em cima, pelos lados e Hazard e De Bruyne, gerando futebol do meia.

  • 2 Arquiteturas e outras obras platerescas
  • Vaso com um pneu
  • Busca uma planta que não cresce muito
  • Redbull-te dá asas. (De frango)
  • Uma decoração sóbria para aspectos mais sérios
  • A árvore mais doce do mundo

as botas do ruivo, do Manchester City, nasceu a primeira chance clara do encontro, um tiro de Carrasco do vértice direito da área “corduroy”, que não encontrou porta. Apenas um minuto depois, Bélgica voltou à carga com um zapatazo de Mertens, que permitiu a Penedo mostrar com uma pombinha videoteca. Hazard colocou o laço ao primeiro arreón vermelho depois de um mal-entendido entre Román Torres e Penedo que ponto estava a acabar em tragédia para os de panamá.

aconteceu tudo isso e nem sequer se havia cumprido o primeiro quarto de hora de jogo. Foi toda uma declaração de intenções da Bélgica, que perseguia com persistência a tanto. O roçou Lukaku após uma deliciosa ação direita de De Bruyne, mas Román Torres se antecipou ao atacante do United para evitar que este empujara a bola para o fundo da rede na boca do gol.

O central do Seattle Sounders se resarcía assim o seu erro anterior. Entrou então o jogo em uma fase mais calma que beneficiou Panamá. Após a tempestade, veio a calma. Mesmo assim, Courtois continuou a ser um espectador. A prova irrefutável é que o cancerbero do Chelsea não entrou em contato com a bola no resto da primeira parte, apesar das intentonas canaleras de longe. Uma saraivada de Mertens após o intervalo, no entanto, iria mudar a decoração do partido para sempre. O fantasioso atacante do Napoli acoplou uma bola penteado por Hazard, que caía do céu e colocou-o na esquadra do segundo pau, desenhando uma bela parábola no ar.

Tudo poderia ser diferente se, após o pontapé de centro Murillo resolvido uma mão em mão com Courtois depois de ganhar as costas ao Carrasco para a direita. O objetivo, no entanto, fez com que caísse a noite sobre o atacante canalero negándole qualquer espaço com o caminho da rede.

Pela primeira vez, Panamá, via-se ultrapassado pelos acontecimentos em sua estreia na história dos Mundiais. Com o placar contra o ‘Bilros’ Gómez moveu guia em busca de ar fresco e introduziu-o no campo ao Gabriel Torres e o deportivista Ismael Diaz. A ferida, mesmo assim, não deixou de sangrar e Lukaku foi o encarregado de colocar o cordão para o duelo com dois gols em menos de sete minutos.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: