Palácio Wilanów

Palácio Wilanów

O palácio Wilanów (em polaco, Apartamenty w Wilanowie ou Apartamenty Wilanowski) é um palácio barroco situado na parte sudeste de Varsóvia, capital da Polônia), na zona de Wilanów. É a estação final da chamada estrada Real, que parte do palácio Real, na cidade velha.

É conhecido como o “Versailles polonês” e é um dos edifícios históricos mais impressionantes e importantes na Polónia. A história do palácio remonta a 1677, quando o rei d. João III Sobieski adquiriu uma propriedade dessa área e mandou construir uma residência palaciana. Até 1945 era habitado por famílias da nobreza polonesa. Devido ao fato de estar afastado do centro da cidade, o palácio sobreviveu quase intacto da Segunda Guerra Mundial.

  • Vasos Cool
  • Um plano da cena em que especulam sobre a Rainha
  • Gaudissart II
  • você Panelas ao céu
  • João José comentou
  • 1, O Grande Palácio
  • 1999: James Arias, por “Cornada para O Córdoba”
  • 1957: II Bienal de Alexandria. Chinese National Art Museum, Taipé

Atualmente se podem visitar as salas com móveis e decoração de diferentes épocas. O palácio abriga o Museu de design de Interiores e a Galeria do Retrato Polonês, também conta com salas para exposições temporárias e uma biblioteca. Dignos de visitar são o extenso parque e os belos jardins. A morte do rei d. João III, residiram no palácio seus filhos. Em 1720, adquire o palácio Elżbieta Sieniawska, um magnata proveniente de uma família nobre, que empreendeu importantes reformas de melhoria.

Em 1730, o palácio passa novamente pelas mãos reais: o rei Augusto II, o Forte, o ocupa por um período de três anos e faz modificações consideráveis, particularmente no design e decoração de interiores. A morte de Augusto II, em 1733, o palació passa a ser propriedade de Maria Zofia Sieniawska (filha de Elżbieta Sieniawska) e de seu marido, o príncipe August Aleksander Czartoryski. Quando este morre, em 1782, sua filha Izabela Lubomirska, casada com o marechal Stanisław Lubomirski, herda.

No período em que ela morava, até a sua morte, o palácio viveu uma época cheia de glória. Depois passou a sua filha Aleksandra Lubomirska, casada com o político nobre Intermédio de um Ano Potocki. Graças aos esforços de um presente e a sua habilidade como colecionador, um dos primeiros museus públicos da Polônia foi aberto em 1805 no palácio. A família Potocki manteve a posse do palácio até 1892; a última em viver lá foi Aleksandra Potocka, esposa de August Potocki (neto de Stanisław Kostka Potocki).

Em 1951, se incorpora a vila de Wilanów da cidade de Varsóvia, perdendo assim o seu palácio selo rural que o diferenciava desde há três séculos. O edifício foi construído pelo projeto do arquiteto Augustyn Locci. Muitos relevos e outros detalhes da fachada foram criados pelo escultor Andreas Schlüter. A planta do palácio é simples: um compacto corpo retangular, cuja fachada principal está voltada para o ocidente, unido por meio de galerias duas asas, uma ao norte e outra ao sul, que se estendem para oeste. Formando-se, assim, a entrada do palácio um grande quintal ou pátio com uma fonte central.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: