Fórmula 1: Um Segredo De Estado

Fórmula 1: Um Segredo De Estado

Que há fome de Fórmula 1 é um fato. Quando faltam 20 dias para começar a ver os novos monolugares de 2016, vai atirar as especulações sobre qualquer assunto que afeta o Grande Circo, mesmo os de aparência menos importantes, como a decoração dos carros. O dado é revelador. O resultado, um branco e preto, seguido do clássico laranja. Há algumas semanas se fala de uma possível mudança de cores na McLaren Honda MP4-31, o novo carro de Fernando Alonso e Jenson Button.

Segundo soube MARCA, aos funcionários, foi-lhes pedido em Woking, de forma expressa, que não revelem nenhuma informação sobre o aspecto externo do carro. No ano passado, o MP4-30 apresentou-se com uma mistura de prata na parte superior e preto nas laterais, desde o morro até a zaga. Essas tonalidades mudaram então para o GP da Espanha, no início de maio, banir qualquer reminiscência do ‘silver’ tradicional da Mercedes na corrida, desde o início do século XX. Ron Dennis, explicou em seu dia o debate interno na fábrica sobre o assunto e qual é a sua postura, que é a que finalmente se impõe. Dennis explicou a prioridade neste tópico.

No carro, a Moet-Henessy é uma contribuição das consideradas menores, que pode ser de menos de 8 milhões de euros. Dennis segue, admitindo que, para alterar as cores de ‘seu’ carro -ou, pelo menos, dos pontões laterais ou na tampa do motor-, é necessário que o patrocinador chega com um cheque de 45 milhões. Possivelmente por isso que seu carro é um dos mais limpos da grade.

  • Cristina comentou
  • 10 g de sal
  • Barcos monstruosos
  • 1 Em português
  • 4 As restaurações
  • Torta de jigote

Posteriormente, destacam-se Frei Francisco de Bejarano, Cristóvão Daza, Cristóvão José Lozano e do Poço. A pintura dos inícios da República continuou sob os moldes coloniais. O Peru tem grandes representantes da música acadêmica. No século XX surge uma segunda geração que sabe empregar os elementos folclóricos fazendo com eles uma transformação das harmonias e melodias (estilização do folclore).

Músicos representativos desta tendência são Theodoro Valcárcel, Afonso da Silva, Roberto Carpio, Carlos Sánchez Málaga e Rodolfo Holzmann. Os músicos peruanos de relevo mundial são Alexandre Granda Relayza, Luis Alva Talledo, Ernesto Palácio, Francesco Petrozzi e Juan Diego Flórez. A cerâmica do Peru pré-colombiano, foi muito elaborada. Tem decorações pictóricas de alta qualidade artística, e muitas são de forma escultórica. Estes exemplares são encontrados em profusão nos túmulos pré-hispânicas, devido ao costume de enterrar o morto, com vasilhas cheias de alimentos e bebidas.

a arte da cerâmica começou a exibir notáveis progressos a partir da cultura Cupisnique. A cerâmica moche é considerada como a melhor do Antigo Peru e entre as melhores do mundo, graças ao fino e elaborado trabalho que evidenciam seus exemplares. Eles representaram, de forma escultórica como a pictórica, a divindades, homens, animais e cenas significativas, relativas a temas cerimoniais e mitos que revelam sua concepção do mundo, destacando-se a surpreendente expressividade, a perfeição e realismo com que lhe dariam. Desta arte se destacam os huacos retratos e os huacos eróticos.

A cerâmica nazca é outra das melhores do Peru, por sua variedade e alta qualidade. Destaca-se, sobretudo pelos seus desenhos pictóricos, com uma profusão de cores muito brilhantes. Posteriormente surge a cerâmica tiahuanaco-wari, dominada ao que parece pela moche e a nazca; a primeira deve a predileção pela forma escultórica, e a segunda pelo uso de uma variedade de cores brilhantes.

Destacam-se, em seguida, a cerâmica chancay, que se caracteriza por ser bicroma (sobre um engobe branco pincelaba com corante preto). Quanto à cerâmica inca, é mais sóbria em expressões figurativas e pouco dada a reproduzir formas esculturais. O mais conhecido é o aríbalo, nome que lhe deram os espanhóis por sua distante parecido com as ânforas gregas.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: