Decorando A Casa A Partir Do Zero

Decorando A Casa A Partir Do Zero

nem todo mundo tem claro de que modo decorar sua casa ou como fazê-lo realidade. Ter nas mãos uma casa nova ou recém-reformada e decore-o a partir do zero pode ser uma oportunidade ou se tornar um pesadelo. A volta à normalidade após o verão pode ser um bom momento.

Para fazer o bem, convém planejar as coisas e ser metódico. O blog de Fotocasa aponta algumas dicas básicas, que se resume em verificar o estado da habitação, ser conscientes do orçamento que nós controlamos, escolher um estilo para a nossa casa e, finalmente, planejar o espaço. Nova ou não, qualquer casa pode ter falhas ou defeitos em paredes, pisos ou suprimentos.

  • Bob Ludwig: masterização
  • Cozinhas com estilo nórdico
  • Secundino Hernandez, Marlon de Azambuja, Elena Alonso, Santiago Giralda, Carlos Irijalba
  • O Grande Comum
  • lembre-se desenhos, letras, textos, fotos e tudo o que quiser de suas revistas
  • Serviços de publicidade clássicos: banners, botões, mail-marketing, etc

a primeira Coisa que devemos fazer é verificar o estado da pintura, pavimentos, carpintaria e as instalações ou equipamentos. Verifique que não haja desconchados, listradas, manchas nas paredes e pisos. Que a caldeira, os radiadores e demais equipamentos de ar condicionado a funcionar correctamente, se é necessário mudar a configuração ou em caso de que não exista, se há a necessidade de colocá-lo.

Conhecendo já o estado da casa temos que fechar o nosso orçamento disponível para decorá-lo. Possivelmente surgem coisas novas para comprar, por isso a margem de 10% que seria recomendável. Se de entrada é evidente que não temos muito dinheiro, a opção pode ser ir, pouco a pouco, priorizando espaços. De entrada, melhor ser minimalistas: haverá tempo para adicionar e acumularSi vamos fazer obras, devemos pensar se precisamos de licenças, se é que podemos fazer a nós mesmos as tarefas ou se vamos precisar da ajuda de um profissional. Também podemos olhar se as reformas podem estar apoiadas pela administração.

No caso do mobiliário, deveremos olhar para aquelas lojas que atendam não só aos nossos gostos, também do dinheiro disponível. Além de cadeias de mobiliário e decoração, preços baixos, existe a opção de reciclagem de móveis próprios ou de segunda mão. Os têxteis e outros suplementos, deixaremos para o final, uma vez que tenhamos claro o orçamento restante. Minimalista, industrial, clássico, rústico, contemporâneo, clássico, escandinavo, vintage, étnico, eclético… como Nossa casa não sairá em revistas, assim que o fundamental é escolher o que vai mais com a nossa personalidade.

Depois de tudo, e nesse espaço vamos viver nós. Podemos escolher um estilo para toda a casa e ser fiel a seu espírito em todas as estâncias ou jogar também, e dotar a diferentes espaços de ligeiras alterações ou nuances. Leves, porque, se decidimos que cada casa tenha um estilo próprio, o resultado dessa mistura, pode acabar por “cortar”, como a maionese.

Tomaremos medidas para cada divisão da casa e com esse dado presente, pensaremos que destinar cada espaço. Com o retorno de nosso orçamento presente, meditaremos a opção de realizar obras. Pode ser que nos convenha, unir estadias removendo divisórias ou, ao contrário, separar espaços com a obra ou com elementos de decoração.

Para este trabalho, podemos recorrer ao típico plano à escala ou usar a multidão de planejadores que existem. Em seguida, decidir que mobiliário e acessórios poderemos colocar e onde. Devemos ser conscientes de nossas necessidades e das possibilidades do espaço. Neste sentido, melhor ser minimalistas, que já haverá tempo para acrescentar, se é que ele toca.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: