Casa Estúdio Victor Horta

Casa Estúdio Victor Horta

A casa estúdio de Victor Horta, em Bruxelas, caracteriza-se por seus espaços simbólicos e significativos relacionados com o arquiteto, já que este habitava. Os dois edifícios que compõem esta casa, foram construídas entre 1898 e 1901. Mas foram criados juntos e se comunicam internamente, tendo cada um a sua própria individualidade, distinguindo a casa privada da casa da oficina. O movimento Art Nouveau se destacado por suas linhas assimétricas e motivos naturais, tentando integrar a arquitetura e a decoração interior, tornando a habitação em uma obra de arte.

A casa-estúdio foi construída entre os anos de 1898 e 1901, a antiga casa e estúdio do arquiteto é hoje em dia um museu dedicado ao estilo Art Nouveau, o Museu Horta. A fachada do estudo se desenvolve em três níveis, os dois primeiros mais maciços e claramente diferenciados do terceiro. Existe uma descontinuidade entre os vãos do primeiro e segundo nível, o que é permitido pela utilização do aço em sua estrutura. O último nível, o estudo é em sua maior parte em vidro, emoldurado por finas colunas metálicas de cor ocre.

Franquear o limiar do edifício, verifica-se que a habitação como o estudo se comunicavam através de um jogo de portas que, por sua vez, possui uma divisão de cada um dos espaços. O primeiro espaço localizado após o salão de música, é o restaurante que fica no andar nobre da habitação, revestido com tijolo vitrificado branco.

  • 3 – Parador de Santo Estevo (Ourense)
  • A Viola
  • Terríveis ninhos de aranha
  • Clínica Omega

moradia acolhe o visitante em um confortável hall localizado no piso térreo. Após subir alguns degraus de mármore branco, chega-se à escada, que é o elemento central do espaço interno, além de servir para os diferentes apartamentos dispostos em desnível, oferece copiosa iluminação no interior da habitação.

A habitação privada inclui duas escadas, onde a escadaria principal, estava destinada aos proprietários e convidados, e uma escada secundária para o serviço. A escada é coroada por uma lucarna de vidro, em forma de semi-abóbada. No segundo nível se situa o quarto de Simone Horta, a qual se orienta em direção à parte traseira da habitação, isto é, em direção ao jardim.

O jardim de inverno é composto de um pequeno espaço coberto por superfícies de vidro, a modo de estufa, abrindo-se em um de seus lados por uma porta de vidro que dá acesso a um terraço, justamente acima do jardim da casa. A fachada da casa é revestida em pedra, mas ela destaca o trabalho feito em metal para as varandas, que apoiam um duplo janela. ] J. M. Van der Meerscher. Poelaert et son temps / organisée par l’ Institut Supérieur d’Architecture Victor Horta. Institut supérieur d’architecture Victor Horta (Bélgica).

Parece que o seu instinto não falhou: a marca, a “primeira jóia 100% on-line em nosso país que produz todo em sua própria oficina”, não deixa de escalar postos graças à sua sofisticada oferta feita à mão. “Sem dúvida o que mais vendemos são brincos. Há quase dois anos que lançamos os Small Basic e continuam a gerir de uma forma incrível em qualquer de suas variantes.

Também os Margherita ou os aros XXL Hoop Dreams se tornaram best-seller de nossa mais recente coleção”, afirma. Pequeno Affaire também projeta anéis, pingentes, pulseiras e, desde há pouco, edições limitadas. “Sempre quisemos fazer uma peça especial que não se vendam mais de 50 unidades e, por fim, nos lançamos.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: