Carlos Garcia-Foice Volta Ao Futuro Do Design De Interiores

Carlos Garcia-Foice Volta Ao Futuro Do Design De Interiores

Carlos Garcia-Foice (39 anos) é um dos interioristas mais reconhecidos do panorama atual. Conhecido pelo grande público por sua participação na ‘Reforma Surpresa’ (Quatro), é um decorador muito respeitado por seus colegas. Além disso, trata-se de um tipo muito original, de aparência ‘hipstérico’ e gostos refinados. No local rua Pelayo recebe ZEN e conta suas origens.

Se formou com Paco Terán e Nacho Garcia-Vinuesa, em seguida, trabalhou para Manga e O Corte Inglês e depois voou em solo com grande sucesso. Sua loja está repleta de cerâmica de Talavera. Pratos elaborados por ele e outros ilustradores que carimbam suas loucuras em louça como Abraão Menéndez-proença de carvalho. Também vende pratos e taças antigas, mesmo uns pingentes de sucesso recente chamados Lobowie e outros pequenos animais em forma de vaso. Seus ícones mais repetidos ultimamente são os veados e as baleias. Também é muito famoso com o seu conjunto de pratos ‘Perseguição’, entre um cão, um gato, um rato. Os materiais com os quais trabalha são de primeira qualidade: massa branca muito dura, resistente a impactos e a altas temperaturas da máquina de lavar.

Entre os seus locais favoritos, encontra-se a casa de Pablo Neruda no Chile, chamada ‘Sebastiana’, em forma de barco, e o bar Coconut, projetado por sua amiga Silvia Superstar em Malasaña. Entre seus mais recentes trabalhos está o interior de barbeiro Malayerba da praça do 2 de maio.

Carlos volta para o futuro. Olha para frente em técnicas, mas é fiel às linhas funcionais do passado. Pepe Leal, que acaba de projetar o restaurante Dos Peñotes de hoje, com orçamento apertado. Outra das obsessões de Guille é a luz. Confirmado. O segredo de Carlos é a sua paixão pelo ‘vintage’. Agora o que se leva é o clássico. O atual é o de toda a vida. Guille é moderno, mas não vão as moderneces. 1. Você sabe o que se sente ao executar um vulcão? 2. Você tem 10 minutos para o pequeno-almoço?

  • 26 de maio de 2014 @Gaby obrigado
  • 1 Andrea Mantegna em Pádua, Mântua
  • 3 Séculos XVIII e XIX
  • 3 As fachadas
  • 3 Museu do Cartaz
  • 2 Descrição 2.1 Externa

Carpintaria e marcenaria: das artes da madeira são utilizados tanto como revestimento dentro da arquitetura (caibros, portas, janelas, varandas, balaústres) —incluindo arquiteturas alternativas como capelardentes e retábulos— como elementos transportáveis (mobiliário). Trabalho em metal: o metal (ferro, cobre, bronze) pode ser usado sozinho ou chapeados sobre madeira, geralmente em elementos de fechamento de portas, grades e trilhos. O bronze é geralmente derreter e despeje em forminhas.

O trabalho com ferro (limonita, pirita ou magnetita) é chamado de forjamento: reduz-se com o calor, que sai de uma pasta vermelha com a qual se fazem lingotes. Artes têxteis: manifestam-se principalmente em tecidos e bordados. Um tecido é uma obra de tear composta por vários fios dispostos na trama e urdidura.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: