As Cinco Tendências Para Vestir A Casa Neste Outono

As Cinco Tendências Para Vestir A Casa Neste Outono

Este outono se veste de verde em todos os sentidos e as novas tendências em design de interiores apostam na decoração natural, orgânica e com materiais sustentáveis. No Habitissimo detalham as tendências de decoração para este outono. Se o verde já se infiltrou em estampas tropicais nesse verão, agora retorna em forma de plantas, tecidos e materiais orgânicos.

As plantas pendentes, no chão, ou até mesmo para delimitar espaços entram em todos os cômodos da casa. Alguns cestos de vime, umas cestas ou uma damajuana de vidro adicionar um toque decorativo à vegetação. As cortinas ou paredes escuras se impõem para que as estadias ganhem profundidade e cores escuras se misturam entre si. As paredes acinzentadas e azuis combinam com o aço do mobiliário para introduzir elementos frios em interiores, que conservam o calor, graças aos tecidos. Nas paredes também são introduzidos diferentes texturas e até mesmo se respeita a construção sem revestimentos para provar a autenticidade dos interiores.

nesta aposta na decoração natural, a imperfeição se torna bela. Por esta razão, as irregularidades da madeira natural ou os materiais que mostram a passagem do tempo ganham valor. As peças grandes de madeira são mantidos em sua forma e sem artifícios, seja em forma de mesa ou estante e combinam com diferentes materiais e tecidos. Estes se mostra nua, sem medo de olhar o desgaste do uso. Todos estes detalhes dão valor em um contexto onde o rústico reciclado se impõe.

  • Fatias de melancia
  • A suástica
  • 2 Conjuntos 2.1 Pátio de carruagens
  • 10 Novas produções de Ópera do Teatro Real (desde 1997)
  • Cozinhar juntos
  • 4 Áreas metropolitanas
  • 1 para Abrir um negócio

Esta decoração ao natural, que mantém os materiais nobres em sua condição original, concentra toda a cor dos tecidos. Por isso, os tapetes kilim entram nos lares, até mesmo, de dois em dois, e os estampados combinam-se uns com os outros. A cor explode sem limites, mas de forma clara, os itens mais funcionais para integrar as estadias que queremos que sejam mais autênticas. Tanto para a madeira como para o resto do mobiliário, aposta-o respeito os materiais nobres e orgânicos. O rattan e vime eles furam os interiores para formar composições de cores neutras. Dominam os espaços sem stress, com elementos sem cores e predominância de tons de terra e terracota. Assim, a cor só interessa os tecidos e tapetes, que são combinados com estampas étnicas.

No livro dos Atos dos Apóstolos 2,1-41) se faz menção da descida do Espírito Santo e a restauração do homem. Esta restauração se manifestou no dia de Pentecostes com o milagre do “falar em línguas”. Se no princípio o homem terminou confuso, agora, essa confusão se excede o entendimento mútuo que existem as pessoas que se encontram com o Senhor.

O milagre do “falar em línguas” do Pentecostes, que reflete o amor de Deus é o novo idioma que permite que os homens se entender mutuamente. O homem não deve olhar para o confronto contra Deus ou contra o seu próximo, porque Deus é amor e, ao contrário, ao identificar-se com Ele, é possível que todos nós possamos nos encontrar e nos possamos entender. Na tradição mística do ocidente se tornou uma grande analogia entre os templos da antiguidade -como as pirâmides do Egito, no templo de Jerusalém ou a Torre de Babel – e o culto ao cosmos e o universo.

No seu livro de 1918, o antropólogo James George Frazer documentou semelhanças entre as histórias do Antigo Testamento, como o Dilúvio, e lendas indígenas de todo o mundo. Identificou-se, então, uma história que se conta a mitologia do povo Lozi, onde os homens maus construíram uma grande torre de antenas para prosseguir para o Deus-Criador, Nyambe, que havia fugido para o céu em uma teia de aranha.

Os homens então se perdem quando entrou em colapso mastros da torre e todos voaram. Frazer também cita as lendas encontradas entre o povo da região do Congo, bem como a Tanzânia, onde os homens ergueram-se grandes torres ou subiam enormes árvores em uma fracassada tentativa de chegar à Lua.

página visitada Em hebraico bl-bl significa “balbuciar, confusão ao se expressar alguma coisa”. ↑ Harris, Stephen L. (20 de janeiro de 2010). Understanding the Bible. ↑ Heródoto. “Os nove livros da História: Livro I: Clio”. ↑ “Zigurats, os templos da Mesopotâmia”. ↑ Fernandes Moreira, Cristina (22 de janeiro de 2012). “Comparação da Torre de Babel e o templo solar de Niuserre”. ↑ Martinez Jimenez, José Antonio; Muñoz Marquina, Francisco; Sarrion Mora, Miguel Ângelo (2011). “Linguagem e comunicação”. A língua Castelhana e Literatura (Akal edição). Madrid: Akal Sociedade Anônima. ↑ Anónimo (2014). Livro dos Jubileos.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: