“Se Fizesse Uma Carta Aos Reis Magos Lhes Pediria Para Ser Mais Famosa”

“Se Fizesse Uma Carta Aos Reis Magos Lhes Pediria Para Ser Mais Famosa”

O que não se pode negar é que o papel interpreta muito bem. Ou suas aulas de interpretação estão dando frutos ou tinha interiorizado desde o dia em que nasceu. Não sei se você está ciente de que o seu nome é um dos mais procurados no Google. Por que acha que acontece isso?

Sim, há muitas entradas, é impossível lê-las todas (Sorri). A verdade é que eu sempre diferenciado muito a pessoa do personagem. Como pessoa sou Maria Pascal, embora um bom dia, agora há três anos, resolvi criar um personagem que se dizia Maria Lapiedra, como Santiago Segura fez com Corrente, por exemplo.

O que acontece é que a Corrente está dentro de um filme e Maria Lapiedra está dentro da vida real. Sempre que leio coisas sobre Maria Lapiedra eu faço sabendo que é sobre um personagem, não sobre mim. Por isso não me afeta diretamente. Você não pensou que a gente pode procurar somente porque está boa?

Depende, eu tenho tantas facetas que eu acho que me procuram por motivos diferentes. Os tios por ser bonita e me ver nua. Em seguida, há muitas meninas, que embora pareça mentira, me escrevem para me perguntar o que tem que fazer para chegar a ser como eu. Algumas há, não te negarei, mas são as mais reprimidas que vão para o saco, e a maioria delas escritas de forma anônima. Tomara que morra. (Risos).

é-Me igual, então há outras que são mais abertas e com as quais eu não tenho nenhum problema, fico com estes. Já. Por que decidiu criar um personagem na vida real? Eu acabava de se formar em literatura catalã, e eu pensei, professora sempre poderei ser algum dia. Como esta vida é tão curta, pensei em como poderia chegar a ser feliz.

Eu gostaria de ser famosa. Você está Me dizendo que criou um personagem com a única intenção de ser famosa? Sim, diretamente. Procurava um personagem midiático. Pelo menos você é sincero. Você faz o que tem que fazer, se com isso conseguir ser famosa? A princípio sim, eu fiz de tudo para conseguir ser famosa, e mais uma vez ele me abriu várias portas já tudo é mais fácil.

  • Mikel González: “Eu gostaria de
  • N. 6 Aria Non so più coisa são, coisa faccio (Cherubino)
  • 2013: A Família
  • Quando eu penso em você e eu fecho meus olhos, posso sentir-te ao meu lado

Mas, para que haja uma primeira porta, você tem que estar disposta a fazer qualquer coisa. Você tem que ser diferente dos 45 milhões de pessoas que existem em Portugal. Que caminho você escolheu, para que lhe abrissem a essas portas para a fama? Ao se apaixonar por muitos famosos, que é o que, naquele momento, acreditava-se que é o que me dava melhor. Além de escrever, mas claro, com isso demora anos para me tornar famosa. Como sempre tinha me dado bem flertar com os caras, eu decidi namorar famosos.

Sim, bom argumento, claro. Quantos calcula que foi ligada? O seu trabalho apenas uma vez lhes foi apaixonado e deixa puxados? Não, o problema é que uma vez que eu acabei apaixonando-los. Alguns sim que os tenho usado e já está, então há outros que se acabam caindo muito bem, e gostando.

Mas há sempre um momento em que é preciso decidir entre a exclusiva e o amor, e eu sempre me decido por exclusiva. Que bonito. Já verá como lhe ouça Cupido. Sinceramente, você não sofre de um transtorno bipolar? Há momentos em que sim, que é verdade que o personagem pode comigo, e de vez em quando ir a uma psicóloga para me ajudar a diferenciar entre os dois.

Sempre tive medo que o personagem se comesse a pessoa, mas agora eu estou bem. Quando estou com meus amigos ou com a família, sou Maria Pascal, e quando estou diante das câmeras sou Maria Lapiedra. Também eu te digo que seria impossível de ser Maria Lapiedra as 24 horas do dia, acabaria muito cansada.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: