Que Interesse Fosse O Instigador Explicaria

Que Interesse Fosse O Instigador Explicaria

Para alguns Guilherme, o Conquistador. Para outros, Guilherme, o Bastardo. Os apelidos do Duque da Normandia lhe faz justiça em ambos os casos. Não em vão, era filho ilegítimo de Roberto I, de origem viking. No entanto, talvez seja mais acertado seu primeiro apelido. E é que, lá pelo ano de 1066 desembarcou na Ímpia Albion com um grande exército e, após uma sangrenta batalha, conseguiu arrebatar o trono da região ao rei Harold II.

desta forma, se tornaria o primeiro monarca da dinastia normanda. Após a expulsão, as bravas e através de um contingente de cavalaria, o que -para a sobremesa – foi o último governante da Inglaterra anglo-saxônica. Os cenários de Guilherme foram verdes para a História. Apesar de suas conquistas permanecem até hoje na memória graças a obras tão majestosas como a Tapeçaria de Bayeux. Uma obra bordada em linho, com que -ainda tem muitos mistérios a seu redor – foi costurada no século XI, a fim de comemorar como se fez com o trono.

  • Fora de Montepinar: 4, 6 e 7
  • 60º.- Porque Craig Thompson comove em todas as suas páginas
  • 1 Conhecido primeiro como é a personalidade de um Leão na cama
  • receba de volta, mesmo que sejam apenas alguns ros leves
  • Você teria aplicado o 155 antes de quando o fez Rajoy
  • 10 Dinossauros na teoria da evolução

É precisamente esta extraordinária peça, hoje guardada na Normandia, em que se tem baseado o escritório de turismo da Irlanda para elaborar o seu próprio “Parede dos 7 Reinos”. Do mesmo estilo que o seu irmão mais velho, mas baseado em dos momentos mais marcantes da popular série “game of Thrones”. O por que, segundo afirmam, é que muitos capítulos foram rodados na região. A história de Guilherme, é, a par, cruel e heróica. Nosso protagonista veio ao mundo em Falaise (Normandia) lá pelo ano de 1028 como filho ilegítimo de Roberto I de França. A procedência granjeou-lhe rapidamente o nome de Bastardo.

A “Crônica anglo-saxônica” (vários livros elaborados por outros tantos autores que narram a história da Britânia) define como um homem sábio, poderoso e “gentil com os bons amantes de Deus”. Mas também afirma que tinha uma “severidade sem limites com aqueles que se resistir à sua vontade”. Quando apenas somava 7 molas a suas costas, tornou-se Duque da Normandia, após a morte de seu pai.

Desde então, passou a sua infância, aliando-se com uns e outros nobres para -usando as armas – de sufocar as revoltas daqueles que não viam com bons olhos que lhes falasse diretamente com um senhor de mãe desconhecida. Guilherme teve que esperar até 1066 para empreender a que, posteriormente, seria a campanha mais importante de sua vida.

Com tudo, sua alegria durou pouco. E é que, quando Guilherme, soube que havia sentado suas reais no trono, montou em raiva. Pouco depois, lá por outubro de 1066, os dois pretendentes-se-iam as faces, na batalha de Hastings, no sul de Londres. Terreno em que se iria decidir o destino da Inglaterra. Durante o confronto, Haroldo II, posicionou seu exército (formado principalmente por infantaria e arqueiros) sobre uma colina.

Mas, para sua desgraça, os normandos contavam com alguns dos cavaleiros mais poderosos da Europa. O resultado da eleição foi uma vitória esmagadora para Guilherme, o Conquistador, para quem ganhar granjeou-lhe o trono de Inglaterra. Assim foi como se instauro uma dinastia normanda na região, em substituição a anglo-saxônica.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: