Por Seus Peitos As Reconhecereis

Por Seus Peitos As Reconhecereis

eu Vim, eu vi, eu despojado, venci. Femen é uma organização feminista de origem ucraniana cujos militantes se tornaram mundialmente famosas por suas ações de rua em topless em defesa dos direitos das mulheres. Os jornalistas as perseguimos depois de cada bravata, e assim elas aproveitam para colocar a sua mensagem.

Acostumado a perseguir russos mal-humorados para perguntar-lhes por Putin, da Rússia ou Assad, as Femen foram uma mudança de terço desde o primeiro dia para um correspondente na gelada Moscou. Um tema com o que conquistar os leitores que bostezan com a geopolítica. Xavier, não me escrevas para o Facebook. Eu tenho bloqueado a cada dois por três.

  • Quero besayunar ao seu lado todas as manhãs. Você late
  • 61 – Por What if e universos alternativos que valem a pena
  • Illarramendi é dúvida contra o Getafe
  • Não gosta de nada que lhe digam o que é atriz pornô…
  • Controlar a ira
  • Presença de arqueiros ingleses em Crécy, Poitiers e Aljubarrota
  • A beleza também vem acompanhada de business

Pois por pendurar fotos na peitos! Ódio recorrer à frase feita, mas é verdade: não deixaram ninguém indiferente. As feministas têm franzido o cenho, outras não sabem o que pensar. Os tios olhamos sorrindo e os meios que lhes dão quadra, mesmo quando suas ações são mais do que questionáveis.

Antes de que houvesse uma guerra, na Ucrânia, houve pessoas que se apercebeu de que nesse país faltavam muitas coisas, entre elas vergonha. E em parte foi por Femen. Falava do mal recebidas que foram muitas adeptas a essa expressão chamada “perspectiva de gênero”. Os extremos se tocam no Brasil, as filhas, o movimento tem especial têm acabamento imitando com barulho às monjas que se santiguaban ao ver um sutiã. Por um lado comulgan com alguns de seus discursos contra o patriarcado maligno, mas a exposição pezonil se sai do rectísimo protocolo feminista, onde só existe o bem e o mal.

O mais curioso é que a nudez como protesto a levamos assistindo anos na Europa, e especialmente em Portugal. Antitaurinos e antitaurinas, e também ativistas contra os casacos de pele, levam décadas manifestando-se em bola picada em Puerta del Sol de Madrid e outros cantos principais da capital do reino.

Com freqüência se lançam tinta vermelha por cima, ou são colocados em gaiolas e se fazem os poderosos vizinhos. Então, como quando cruzava bolas de alguém a um campo de futebol, ninguém se pôs a filosofar sobre se essa nudez é a correcta. Mas, é claro, as Femen são tão bonitas que não podiam sair de fugir.

Elas aplicam uma espécie de nudismo vandalismo. Estão cansadas de que o corpo nu seja algo programado pelos homens, para vender itens ou desfrutar em particular, ao preço que for. Por isso, reúnem-se em seus peitos os sites que mais incomodam. Como dizendo: você gosta? Pois, a ver o que fazeis agora, que não os vêm bem. As últimas ‘feminifechorías’ são de traca. Uma ativista do Femen surgiu no passado dia 25 de dezembro, com os seios a descoberto, na Praça de São Pedro, quando o papa Francisco deu a sua bênção “Urbi et Orbi”. A Gendarmaria vaticana colocou-a posteriormente em liberdade. Ele foi proibido o acesso ao “Estado da Cidade do Vaticano”. Quem era essa loira enfurecida?

É ucraniana e é chamado de Yana Azhdanova, invadiu a Praça de São Pedro, com os seios descobertos. Usava a frase “God is woman” (“Deus é mulher”), escrito no corpo, quando o Papa leu a sua mensagem de Natal a partir da varanda. Há poucos dias estive no Vaticano e estavam montando esse portal de Belém. Parecia uma plataforma bem protegida, assim que a menina teve que andar muito bem colocada na praça para conseguir agarrar a figura do menino Jesus. Apesar de sua rapidez, quando a maioria foi detida por um guarda. Não é a primeira vez que um simpatizante de Nossa protesto no Vaticano.

No passado dia 14 de novembro, vários ativistas protestaram com o peito descoberto, na praça de São Pedro, contra a visita do 25 de novembro do papa Francisco ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo (França). E em 2013 foram alguns bolsazos de uma senhora quando tentaram montar na mesma praça. A primeira vez que O MUNDO me para fazer uma reportagem sobre o FEMEN passei horas conversando com elas. A partir das caras conhecidas até as que estavam começando a assustar policiais.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: