Os Vivancos: “O Poder Não Existe. Há Que Viver Em Si”

Os Vivancos: “O Poder Não Existe. Há Que Viver Em Si”

�Como se vê a vida a partir da altura de um palco? Quando meus irmãos e eu subimos em um palco, nós somos reis de um mundo de fantasia, cujo sol é um zênite e cuja noite ilumina-se, e retira à vontade. A partir daí a vida sabe mais forte. A alma se sente mais livre. E nesse turbilhão, às vezes esquece que é o mundo e qual é este.

Ao olhar para trás o Nosso pai. É uma lembrança cheio de luz e felicidade. Conheceis a chave para ser a melhor versão de si mesmo? Viver de forma consciente. Sabendo o efêmero que é o presente, mas sem esquecer de vivê-lo como se fosse eterno. Existe uma receita para a felicidade? Assim, a grandes traços, te diria que devemos nos livrar de nossos apegos e aprender a aceitar e valorizar as coisas realmente importantes da vida.

A felicidade a todos nós dentro e, embora às vezes não pareça, é muito fácil encontrá-la. Será que somente o amor permite uma grande loucura? O amor costuma vir acompanhado da loucura. Na verdade, todas as grandes coisas precisam de uma pitada de loucura. Como dizia nosso pai, devemos ser loucos, que não é o mesmo que estar loucos. Não posso generalizar, pois cada um de meus irmãos e eu temos personalidades muito diferentes. No meu caso, tenho dificuldade em reagir a certas situações. Deve ser mais assertivo. Há algum vício é saudável?

  1. 7 Temporada 7: 2015-2016
  2. 2010: Primeira linha… Um ano depois
  3. O sucesso, o triunfo, o construiu os césares que o gosto de Roma
  4. Lindas palavras e versos românticos para transmitirte uma única mensagem: eu TE AMO
  5. 1992: Furacão de amor
  6. 5 Algumas publicações
  7. Hércules: Lucas: “eu Não sou o legal que podia estar”

Algum pequeno vício, de vez em quando, não faz mal. Muitas vezes é pior a culpa que o pecado. Um prazer proibido que os permitísUn bom sorvete artesanal. Essa pergunta incômoda que sempre vos fazem Quantos sois irmãos no total? O que os intimida até o ponto de sacaros as cores?

Um erro técnico durante o show. Sobre o cenário, há tanta adrenalina que um segundo parece uma hora. Quando algo falha, apesar de muitas vezes o público não percebesse, a nós nos faz eterno. O lema vital que deis por bandeira? O não poder não existe. Há que viver em si. É um lema muito presente em nossos shows. É o fundamento da pluralidade de estilos através da qual nos expressamos artisticamente. Lembram-se o melhor que já disse de vós? Houve críticas muito boas e de que estamos imensamente gratos.

Mas há duas coisas que superam as demais. Uma foi algo assim: “Viva o vosso pai e a mãe que vos deu à luz!” (risadas). Apesar de o visceral de exclamação, é bonito, porque é um elogio aos nossos pais, graças aos quais estamos hoje aqui. A outra é quando uma pessoa se emociona ao ver a nossa obra. E essa crítica que, por ser verdade, eu sempre triste?

Uma vez que, devido a circunstâncias externas (foi um teatro em más condições) não conseguimos dar tudo que tivéssemos querido, e alguém nos disse “já não sois o que éreis”. É curioso, pois apesar de a segurança e a força que um artista mostra sobre o palco, então, na verdade, às vezes, somos muito frágeis. Nos organizarmos melhor. Mas nós estamos nos organizando para melhorá-lo (risos). Que se corte a música no meio de uma performance. É um sonho (pesadelo) recorrente que todos nós temos. O que vos surpreende a vida? A vida em si mesma.

Este vídeo está causando uma enorme polêmica na França. O humorista Rémi Gaillard é sempre disfarçado de cão e fez algumas piadas um tanto pesadas, chegando mesmo a simular a violação de uma jovem. Este vídeo está causando uma enorme polêmica na França. O humorista francês Rémi Gaillard é sempre disfarçado de cão e fez algumas piadas um tanto pesadas transeuntes, jogadores de golfe, playistas e outros, especialmente a cena em que simula que viola uma jovem. O que vos parece, engraçado ou de mau gosto? É absolutamente impressionante o que torna este cão para salvar seus amigos.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: