Govern E R, Em Alerta Contra A Proliferação De Redes De Exploração Sexual De Menores

Govern E R, Em Alerta Contra A Proliferação De Redes De Exploração Sexual De Menores

Desde há vários anos existem óbvias suspeitas de que nas Baleares -especialmente em Mallorca – operam redes de exploração sexual de menores, com maior ou menor grau de organização. Embora para a sociedade balear as redes de exploração sexual de crianças passam despercebidas, o certo é que, entre os profissionais que trabalham no domínio da proteção do menor, esta situação é bem conhecida.

De fato, é possível que, enquanto você, leitor, esteja tomando um montaditos em um local bem frequentado, na praça de Espanha de Palma, aí você esteja promovendo uma venda entre coletor e operador. Com esse objetivo foi criada uma Mesa de Coordenação em que participam todas as partes que devem envolver-se para acabar com este flagelo.

Boa parte dos trabalhadores que convivem, educam ou têm relação com esses jovens sabem o que está acontecendo e até mesmo conhecem os locais exatos onde se capta. A falta de formação para reconduzir os captadores, alguns dos quais estão cumprindo pena É Pinaret. A grande questão é se quando esses caras, califiquémosles dos mais difíceis, cumpram a maioria de idade e saiam para a rua, representarão um perigo para a sociedade ou não. A partir de diferentes frentes tem se mostrado grande preocupação e alarme perante esta situação. Entre eles, o Escritório de Defesa dos Direitos da Criança (ODDM).

o diretor, Serafim Carvalho, não hesita em alertar para o aumento no número de meninos escaparam dos centros de proteção durante a apresentação da Memória de 2016 desta escritório. Conforme puderam constatar desde a Fundação Amaranta, a forma de agir dessas redes de exploração sexual de menores é muito parecida com a utilizada pelas máfias de tráfico de pessoas.

  1. você vai Usar a sua própria mão
  2. 11 Homem de gêmeos e mulher de aquário
  3. 1998 – The-Files: Alien Songs
  4. 17:47 O EVERTON TORNA OFICIAL A CHEGADA DE BERNARD
  5. O homem sem cabeça simboliza o sacrifício anónimo de 700 téspios para o seu país
  6. 20 de janeiro, 2018 às 2:02 am

A única diferença está em que no tráfico há um transporte e afeta menores não acompanhados, enquanto que a exploração se dá em jovens nacionais, com a família e a prática. “Notamos que essas redes operam os captadores, que são os que ficam em contato para os meninos e as meninas com os operadores.

Atuam em locais em que costumam reunir-se os jovens, onde existe apenas o controle parental, como parques públicos com acesso livre à internet wifi, centros comerciais e estações de ônibus ou trem”, argumentam a partir Fundação Amaranta. Outro dos métodos de captação é através do chamado lover boy ou rapaz que se apaixona, o mesmo sistema que eles usam as máfias internacionais sobre o tráfico.

Meninos, em muitos casos, também menores de idade, que encandilan as meninas com falsas promessas de amor e um fim de conectá-las com os líderes das redes, os exploradores sexuais. Também o incipiente fenômeno de sugar os encontros com coroas ricos, padrinhos maduros dispostos a comprar carinho de adolescentes em troca de presentes caros ou até mesmo do pagamento dos estudos.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: