Análise Dead Synchronicity: Tomorrow Comes Today Para Switch

Análise Dead Synchronicity: Tomorrow Comes Today Para Switch

Há mais de dois anos que estudo português Fictiorama estreava no PC sua aventura point & click Dead Synchronicity: Tomorrow Comes Today. Desde o lançamento, o título foi chegando a várias plataformas, colhendo em todas elas, um notável sucesso e conseguindo namorar os amantes da vertente mais clássica do gênero. Agora, ao final de 2017, com o apoio de BadLand, Fictiorama lança uma nova versão deste jogo de vídeo, o qual, ao igual que muitos outros títulos independentes, teste a sorte no Nintendo Switch. A versão de Dead Synchronicity: Tomorrow Comes Today que chega à nova consola da Nintendo é exatamente a mesma que já fomos capazes de desfrutar em outras plataformas.

Faz a sua aparição como uma simples adaptação que, a priori, não inclui novidades importantes além da adaptação técnica necessária. Mas, como ele se adapta a obra de Fictiorama no Switch? Qual é a desculpa perfeita para lançar-se a desfrutar de novo nesta aventura gráfica? Se você quiser descobrir a resposta, acompañadnos em nossa análise de Dead Synchronicity: Tomorrow Comes Today para Nintendo Switch. Em primeiro lugar, é de recibo de resumir o que é Dead Synchronicity, com que tipo de obra nos encontramos, e por que teve tanto sucesso em todas as suas versões. Através deste jogo de vídeo, Fictiorama Studios aposta por uma volta à aventura point & click de corte clássico a nível jogável.

O título apresenta-nos vários ambientes com quebra-cabeças que nos obrigam a espremer o cérebro para descobrir pistas que nos indiquem como interagir com o ambiente e combinar os diferentes objetos que encontramos de forma que possamos continuar avançando. O fio condutor que guia todos estes actos é, como em as aventuras clássicas, uma história que, a priori, tem a intenção de ser interessante e não ficar em uma simples desculpa. Do ponto de vista jogável, Dead Synchronicity sim é um jogo muito clássico, que não reinventa o gênero, mas que pegue mecânicas já conhecidas e as coloca com cuidado para oferecer uma experiência de como as de antigamente.

Os diferentes quebra-cabeças são realmente interessantes e, apesar de que alguém possa ser muito maléfico, o certo é que não costumam alongar até o ponto de desesperarnos. E precisamente a história é outro dos pontos mais fortes da obra de Fictiorama. Uma vez visualizado por que diabos Dead Synchronicity conseguiu namorar a tantos usuários, passamos para ver com maior profundidade a versão que agora Fictiorama colocado à venda, a Nintendo Switch. No entanto, como vos dizíamos no início, esta nova versão não inclui alterações de qualquer tipo a nível jogável. Não há novas cenas e nem nada do estilo.

  • A marcar
  • 92- … em especial a índia
  • “Fuck You” (vídeo) – 3:42
  • 1-2 Santa Cruz 2-2 Gameiro

É uma adaptação de “1 a 1”, ou seja, uma cópia do que já foi jogado em outras plataformas. Por isso, se você já tendes gostado de mais esta grande obra, é possível que vos não acrescente nada de novo e não conseguir sorprenderos. Mas, se sois dos que, por um motivo ou outro, ainda não deram o passo e ter participado em Dead Synchronicity, esta pode ser a desculpa perfeita. Uma versão à altura que se encaixa perfeitamente com a nova e popular plataforma da Nintendo. Jogar uma grande aventura em qualquer lugar e momento, deixá-lo onde quiser e voltar quando você quiser.

o Que mais você precisa para cair por ela? Dead Synchronicity é um jogo que, como você pode ver nas imagens, entra pelos olhos. Conta com um número artístico simplesmente espetacular que, bebendo do expressionismo, consegue ter um toque muito próprio e namorar o jogador desde o início. A partir de um ponto de vista técnico, nota-se que o jogo foi feito para PC e esta versão é apenas uma adaptação. Os controles foram levado para o Switch de uma forma que são confortáveis, mas que às vezes podem deixar um pouco a desejar.

Joana

Os comentários estão fechados.
error: